Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Grupo francês Terrésens investe mais de 30 milhões na Comporta em 162 imóveis de luxo

São 56 apartamentos T2, 82 vilas T2 e 24 moradias de luxo T4 e T5.

Terrésens
Terrésens
Autor: Redação

O grupo francês Terrésens anunciou que investiu mais de 30 milhões de euros numa unidade turística de luxo na Comporta. Trata-se da La Réserve Natural Resort & Spa, que terá um espaço de 10 hectares com três tipos de propriedades: 56 apartamentos T2, 82 vilas T2 e 24 moradias de luxo T4 e T5, num total de 162 unidades.  

Segundo a empresa, o empreendimento já está a ser construído, sendo que os apartamentos devem estar concluídos no verão de 2021 e as vilas e moradias no segundo semestre de 2022.

“La Réserve Natural Resort & Spa será a unidade turística de luxo para desfrutar dos momentos de lazer com calma e serenidade. Praias semi-selvagens, dunas naturais e uma flora protegida prometem trazer uma experiência de satisfação e simplicidade na vila da Comporta”, refere a empresa em comunicado. 

Segundo Sabine Fossat, gerente responsável do grupo Terreséns em Portugal, “cerca de 60% das propriedades englobadas no La Réserve já se encontram pré-reservadas para aquisição”. “A mais de um ano da conclusão dos primeiros apartamentos, isto deixa-nos extremamente satisfeitos. É muito oportuno estarmos a desenvolver este projeto num país como Portugal e num local tão distinto e apelativo como a Comporta”, acrescenta.

“Se em muitos países somos referenciados pelos nossos projetos em regiões montanhosas e mais ligados ao inverno, aqui queremos desbravar caminho indo ao encontro da mesma sofisticação e da nossa própria traça, mas com a vertente do verão e praia. A simplicidade e a autenticidade dos lugares é o que mais nos inspira e é sem dúvida, o que encontramos aqui”, conclui.

A “nova Ibiza” de Portugal na mira dos investidores 

Entretanto, o jornal espanhol El Mundo deu recentemente destaque à península de Tróia e à Comporta, salientando o facto da região estar a gerar muito interesse junto dos investidores imobiliários.

De acordo com a publicação, que enaltece o facto do Wall Street Journal chamar à região “nova Ibiza”, há séculos “que a herdade da Comporta tem sido um dos segredos mais bem guardados de Portugal”. 

“Apesar dos locais e da elite do jet set saberem da existência das suas fantásticas praias virgens, o público mundial não tinha ideia que o paraíso se encontrava na costa portuguesa, banhado pelo estuário do rio Sado e o Atlântico”, escreve a pubicação.

O artigo faz uma espécie de retroespectiva de toda a região, desde o colapso do GES/BES até ao processo de venda dos ativos imobiliários da Herdade da Comporta, que foram adquiridos pela Vanguard Properties e pela Amorim Luxury.