Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal é o segundo mercado europeu mais atrativo para investir em imobiliário de retalho

Photo by João Reguengos on Unsplash
Photo by João Reguengos on Unsplash
Autor: Redação

O mercado alemão ultrapassou Portugal como mercado europeu mais atrativo para investimento em imobiliário de retalho – inclui comércio de rua, restauração e centros comerciais. O país caiu do primeiro para o segundo lugar no Global Retail Attractiveness Index (GRAI), que mede a atratividade dos mercados no total de 20 países na Europa, América do Norte e região Ásia-Pacífico.

O relatório da GfK e Union Investment começa por destacar a “resiliência dos mercados europeus” que, apesar do declínio da dinâmica económica global, continuaram a demonstrar um bom desempenho no quarto trimestre do ano passado. “Entre os (países) estabilizadores estão as principais economias, que continuam a fazer da Europa um porto seguro para os investidores imobiliários em geral”, refere o documento.

A Alemanha sofreu um ligeiro declínio (-5 pontos) em relação ao quarto trimestre de 2018 é agora o mercado de retalho mais forte, com 116 pontos. Portugal caiu para a segunda posição, com 115 pontos, menos um que a Alemanha – há um ano o mercado nacional dominava o ranking, com 125 pontos. A Itália, refere o relatório, revelou uma “robustez renovada”, com 110 pontos, que se mantiveram inalterados, e a França melhorou o seu desempenho, sendo o único país no top 15 europeu a registar um aumento (+6 pontos).

GfK 2020 | Global Retail Attractiveness Index
GfK 2020 | Global Retail Attractiveness Index

O país com a pontuação mais baixa do quarto trimestre de 2019, com apenas 96 pontos, é a Suécia. A Dinamarca e o Reino Unido também estão abaixo da média, com 97 e 98 pontos, respetivamente. Durante o ano, a República Checa (-14 pontos), a Polónia (-12 pontos), a Holanda e Portugal (-10 pontos cada) registaram as quedas mais acentuadas no índice de atratividade.

No geral, o GRAI na Europa é significativamente superior aos valores da América do Norte (98 pontos) e da Ásia-Pacífico (96 pontos), “onde a desaceleração económica global e a disputa comercial em curso entre os EUA e a China tiveram um impacto profundo”. Apesar das tendências de queda também serem observadas na Europa, a diferença entre a América do Norte e a Europa aumentou durante o ano de 1 para 10 pontos - a diferença entre a Ásia e a Europa agora é de 12 pontos.

GfK 2020 | Global Retail Attractiveness Index
GfK 2020 | Global Retail Attractiveness Index