Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Porto: grupo Nelson Quintas investe quatro milhões no arrojado S. Bento Residences

Trata-se de um edifício com 16 apartamentos turísticos que foi projetado por Nuno Grande e construído pela San Jose.

Alexander Bogorodskiy
Alexander Bogorodskiy
Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

São poucas as pessoas que ficam indiferentes ao novo edifício S. Bento Residences, situado no centro histórico da cidade do Porto – na praça de ligação entre a Baixa e a Ribeira –, ao lado emblemático edifício da Estação de Comboios de São Bento, cuja construção terminou recentemente. Promovido pelo grupo Nelson Quintas e construído pela San Jose, o imóvel foi projetado pelo arquiteto Nuno Grande - Atelier Pedra Líquida -, que apostou numa fachada arrojada, cujas características e a proximidade do imponente edifício da Estação Ferroviária de São Bento (Imóvel de Interesse Público) dividiram a opinião dos portuenses. 

Constituído por 16 apartamentos turísticos, o S. Bento Residences, que no piso térreo dispõe de um espaço de restauração, tem quatro pisos e é composto por três tipologias: studio, studio superior e one bedroom apartment. Representa um investimento de quatro milhões de euros, sendo que parte do financiamento foi feito através do programa IFRRU 2020. Um facto que permitiu “beneficiar de condições de financiamento mais favoráveis, designadamente no que respeita a taxa de juro praticada e ao prazo de financiamento”, explica ao idealista/news Francisca Quintas, sócia-gerente da NQI S. Bento Residences.

“Um bloco monolítico” com ligação com a envolvente

Edificado numa das principais artérias da cidade, e integrado numa zona classificada pela UNESCO como Património da Humanidade, o S. Bento Residences resulta da demolição de um conjunto de edifícios da Rua do Loureiro (artéria do século XVIII) para a criação de um novo eixo viário, a Avenida D. Afonso Henriques, que faz ligação com a Sé Catedral e com a Ponte Luís I.

O S. Bento Residences é descrito pelo arquiteto Nuno Grande como um “bloco monolítico, em betão aparente, que estabelece uma ligação singular com a envolvente, entre as restantes arquiteturas e as encostas rochosas que caracterizam aquela área urbana”. 

Candidato ao Prémio Nacional de Reabilitação Urboana de 2020, na categoria de Turismo, o novo edifício, afirma o arquiteto, cumpre ainda “duas funções, traduzidas num volume que complementa a fachada setecentista da Rua do Loureiro – reabilitada nos seus elementos compositivos e mantendo um desenho de caixilharia e de guardas, em ferro forjado, enquadrado na frente urbana –, e um outro volume que celebra a existência de um novo tempo da cidade – a fachada sobre a Avenida D. Afonso Henriques que reinventa os vãos tradicionais do Porto histórico, através de um jogo de varandas sulcadas na massa do edifício”.

Nuno Grande frisa ainda que “entre os dois volumes existe uma ‘fenda’, a toda a altura do edifício, que delimita a zona de receção e de acesso aos diferentes apartamentos”. A maior qualidade deste edifício será a de “estabelecer uma ponte conceptual entre o século XVIII e o século XXI”, conclui. 

Aposta no conforto em todos os detalhes

Já Francisca Quintas aponta que, neste projeto, o conceito usual de conforto ganhou também uma nova interpretação em cada detalhe da linha de mobiliário, equipamento de apoio (cozinha, minibar, entre outros) e objeto de decoração selecionado para transformar cada espaço (sala de estar e jantar, wc, quarto e varanda).

O objetivo é que o S. Bento Residences se afirme com uma “segunda casa, que permite uma vivência genuína da cidade, reenquadrada, desde o seu interior, através de cada janela desenhada para vislumbrar no horizonte alguns monumentos e a alma do Porto”, destaca a responsável.

Segundo Francisca Quintas, o S. Bento Residences quer ser uma alternativa à oferta turística já existente, disponibilizando um conjunto de serviços úteis e complementares a cada estadia, como por exemplo pequeno-almoço com opção para crianças, lavandaria e limpeza, mercearia, babysitting, concierge, tours privados e shuttle aeroporto.

Grupo Nelson Quintas
Grupo Nelson Quintas

“Temos de recuperar a confiança perdida”

Para a gestora, a retoma do setor em Portugal e no Porto está a ser lenta, conforme seria de esperar, mas é preciso “recuperar a confiança perdida devida à pandemia e mostrar” que é possível “voltar a fazer turismo em segurança”. 

“No S. Bento Residences, além de sermos uma unidade nova, tomamos todas as medidas necessárias e exigidas pela Direção Geral de Saúde e por parte do Turismo de Portugal de forma a sermos certificados com o selo Clean&Safe”, destaca, acrescentando que, como o empreendimento não dispõe de espaços comuns, os clientes “podem usufruir de todo o conforto, autonomia e segurança dentro” dos apartamentos, “tal como fariam em suas casas”.

Francisca Quintas refere, ainda, que o S. Bento Residences tem recebido “várias reservas”, apesar de se tratar de uma unidade “nova e pouco conhecida”. “Sentimo-nos confiantes, pois sabemos que o que temos para oferecer é de excelente qualidade numa cidade que é única, num país que é maravilhoso. Há que pensar positivo de forma a ultrapassarmos esta fase globalmente difícil”, conclui.