Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Valor sob gestão dos fundos de investimento imobiliário em queda: recua 39,9 milhões em julho

Montante volta a descer em tempos de pandemia: atingiu 10.395,2 milhões de euros em julho, menos 39,9 milhões (0,38%) que em junho.

Autor: Redação

Em julho de 2020, o valor sob gestão dos Fundos de Investimento Imobiliário (FII), dos Fundos Especiais de Investimento Imobiliário (FEII) e dos Fundos de Gestão de Património Imobiliário (FUNGEPI) atingiu 10.395,2 milhões de euros, menos 39,9 milhões (0,38%) que em junho. Uma queda, de resto, superior à verificada em junho face a maio (0,08%). Em causa estão dados divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o supervisor, o montante investido nos FII ficou praticamente inalterado em 7.635,3 milhões de euros enquanto nos FEII o valor caiu 1% para 2.411,4 milhões de euros. Já nos FUNGEPI recuou 5,1% para 348,5 milhões de euros.

“No período em análise, os países da União Europeia (UE) foram o destino da totalidade do investimento feito em ativos imobiliários, tendo 47,5% da carteira dos FII e FEII abertos sido aplicados em imóveis do setor dos serviços. Os investimentos realizados pelos FUNGEPI destinaram-se sobretudo ao setor do comércio (66,1% do total)”, conclui a CMVM, acrescentando que a Interfundos (13%), a Square AM (11,3%) e a Caixa Gestão de Ativos (9,2%) detinham as quotas de mercado mais elevadas.

A CMVM refere ainda que foram liquidados em julho os FEII “Intercapital – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado” e “Grand Urban Investment Fund – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado”, ambos geridos pela Interfundos.

“No mês passado foi também transferida a gestão de dois FII: do ‘Saudeinveste – Fundo de Investimento Imobiliário Fechado’, da Fidelidade para a Caixa Gestão de Ativos, e do ‘Lusofundo – Fundo de Investimento Imobiliário Fechado’, da Norfin para a ECS”, lê-se no comunicado da CMVM.