Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Há três candidatos à compra da Herdade de Rio Frio – um dos ativos tóxicos do extinto BPN

O Estado, através da ‘holding’ Parvalorem, e o BCP querem "desfazer-se" da herdade, que tem 4.000 hectares e está localizada em Alcochete.

Autor: Redação

A operação de venda da Herdade de Rio Frio, um dos maiores terrenos agrícolas do país e um dos ativos do extinto Banco Português de Negócios (BPN), arrancou em 2018. Sabe-se, agora, que o Estado, através da ‘holding’ Parvalorem, e o BCP selecionaram três entidades para apresentarem propostas finais pela herdade, que tem 4.000 hectares e está localizada em Alcochete. Tudo aponta para que o negócio fique concluído em breve, até setembro deste ano.

Segundo o Jornal de Negócios, a Parvalorem e o BCP têm recebido manifestações de interesse pela Herdade de Rio Frio, que mantém a exploração de cortiça e produção de vinhos, bem como a produção de arroz, de gado bovino autóctone e de cavalos puro-sangue lusitanos. No início de 2019, recorde-se, havia cinco propostas em cima da mesa

Certo é que são atualmente três os candidatos a serem os novos donos da Herdade de Rio Frio, escreve a publicação, salientando que o BCP e a Parvalorem constituíram, em 2018, a Cold River’s Homestead, uma empresa dedicada à exploração agrícola e pecuária, industrialização e comercialização de produtos agrícolas e pecuários. Cada entidade ficou com uma participação de 50% no capital da empresa, tendo sido para a Cold River’s Homestead que foram transferidos os ativos da herdade, para serem geridos, depois de terem sido homologados os planos de insolvência das sociedades SARF - Sociedade Agrícola de Rio Frio e CARF - Companhia Agrícola de Rio Frio. Já o Palácio de Rio Frio está nas mãos do Novo Banco.