Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Imobiliário ao rubro: emprego no setor duplicou em três anos

Tyler Franta/Unsplash
Tyler Franta/Unsplash
Autor: Redação

Há cada vez mais pessoas a trabalhar no setor imobiliário português. Os números dispararam nos últimos três anos, tendo atingido um máximo desde 2011. Havia 35.700 empregos no setor no final de junho, quase o dobro do que se registava no mesmo período de 2015, ano em que o imobiliário começou a recuperar da crise.

O número de pessoas que trabalham na compra, venda e arrendamento de imóveis foi aumentando a partir de 2015, mas intensificou-se em 2018, segundo as contas do Jornal de Negócios, feitas com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). No segundo trimestre deste ano, o imobiliário registou a maior variação absoluta homóloga de postos de trabalho desde que a série começou, em 2011. O setor somou mais 8.300 empregos face ao mesmo período de 2017, disparando mais de 30%.

Nas atividades imobiliárias incluem-se as profissões que lidam com a compra, venda e arrendamento (apenas longa duração) de bens imobiliários, assim como a mediação e avaliação imobiliária e a administração de imóveis, sejam estes residenciais ou não residenciais, de acordo com as definições do INE. Esta categoria não inclui o Alojamento Local (AL), caso contrário os números ainda seriam mais expressivos.

Ainda assim, refere a publicação, este continua a ser um setor que pesa muito pouco no mercado de trabalho. É um dos que cresce a um ritmo mais elevado (em termos percentuais), mas não chega a 1% do mercado.