Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Aumento do salário mínimo pode deixar até 100.000 pessoas no desemprego

O aviso é do Fórum para a Competitividade, que alerta ainda para uma possível “degradação das contas externas”.

Photo by Filip Bunkens on Unsplash
Photo by Filip Bunkens on Unsplash
Autor: Redação

As novas subidas do salário mínimo "sem medidas significativas de aumento da produtividade" podem provocar entre 50.000 e 100.000 novos desempregados. O aviso é do Fórum para a Competitividade, que alerta ainda para uma possível “degradação das contas externas”.

O estudo, assinado por Pedro Braz Teixeira, diretor do Gabinete de Estudos do Fórum para a Competitividade, e citado pela Lusa, acrescenta que "as consequências de subidas extraordinárias do salário mínimo são muito diferentes no setor transacionável (agricultura e indústria) e no setor não transacionável (serviços)". No setor não transacionável "há alguma capacidade em refletir aquele aumento em preços mais elevados", sendo que no setor transacionável "não há praticamente margem para subir preços, pelo que há um muito maior risco de não sobrevivência".

O Fórum para a Competitividade explica ainda que "as anteriores subidas extraordinárias do salário mínimo não se traduziram em aumento do desemprego por duas razões", nomeadamente "porque a conjuntura externa era excecional" e "porque o congelamento anterior desta remuneração tinha criado alguma folga nas empresas".

É "essencial criar condições para uma efetiva subida da produtividade", diz Pedro Braz Teixeira, sendo essa a "única forma de dar sustentabilidade a uma subida do salário mínimo e do salário médio".