Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Desemprego recua em junho: inscritos atingem mínimo na pandemia

Em junho, o número de desempregados inscritos diminuiu 6% face a março, diz o IEFP.

Desemprego recua
Photo by Marten Bjork on Unsplash
Autor: Redação

boas notícias no que diz respeito ao desemprego em Portugal. Em junho, o número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a descer – em concreto -6% face a maio – e atingiu os 377.872. Para encontrar um número de inscritos mais baixo é preciso recuar até março de 2020.

O boletim mensal do IEFP, divulgado esta terça-feira (dia 20 de julho de 2021), refere também que o número de desempregados inscritos no país em junho deste ano é 7,1% interior ao verificado em junho de 2020 – altura em que se atingiu os 28.793 registos. A justificar esta variação homóloga, o IEFP destaca a diminuição do número de inscritos há menos de um ano (-71.138), que compensou o aumento do número de desempregados inscritos há um ano ou mais (+42.345) – os primeiros a serem despedidos no rebentar da pandemia, entre março ou abril de 2020.

Desempregados inscritos desce
IEFP

Fazendo um retrato do desemprego no país, o IEFP refere que quase todas as regiões apresentaram variações homólogas negativas, com destaque para a região do Algarve, que registou o decréscimo mais acentuado (-23,4%). A execução é só uma: em junho de 2021, “o desemprego registado aumentou apenas na região da Madeira (+5,5%)”, lê-se no documento.

Número de casais desempregados desce

O número de casais com ambos os elementos inscritos nos centros de emprego também recuou em junho para 6.041, apresentando uma variação homóloga de -8,6%.

De acordo com o IEFP, do total de desempregados casados ou em união de facto, 12.082 (8,4%) têm também registo de que o seu cônjuge está igualmente inscrito como desempregado. Assim, o número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados foi, no final de junho, de 6.041, ou seja, menos 8,6% (menos 569 casais) que no mês homólogo e menos 6,2% (o equivalente a 396 casais) em relação ao mês anterior.

Casais desempregados desce
Imagem de StockSnap por Pixabay

Os casais nesta situação de duplo desemprego têm direito a uma majoração de 10% do valor da prestação de subsídio de desemprego que se encontrem a receber, quando tenham dependentes a cargo.

O IEFP começou a divulgar informação estatística sobre os casais com ambos os elementos desempregados em novembro de 2010, altura em que havia registo de 2.862 casos nestas situações.

*Com Lusa