Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal entre os países que defendem 'apps' para controlar surto da Covid-19

Os governantes defendem que estas ferramentas podem tornar-se úteis na gestão da pandemia, travando possíveis cadeias de transmissão.

Photo by Martin Sanchez on Unsplash
Photo by Martin Sanchez on Unsplash
Autor: Redação

Portugal, Espanha, Itália, França e Alemanha. Os governantes com a pasta digital destes cinco países europeus assinaram uma carta na qual defendem e apelam ao desenvolvimento e uso de aplicações contra a Covid-19. Ferramentas que, segundo os responsáveis, podem tornar-se úteis na gestão da pandemia, travando possíveis cadeias de transmissão.

André de Aragão Azevedo, secretário de Estado para a Transição Digital, assina a carta por Portugal, referindo que "duas das grandes conquistas da UE estão em risco: a livre circulação de bens e a livre circulação de pessoas". Salienta, citado pelo Jornal de Negócios, que aplicações digitais "podem desempenhar um papel importante para sairmos desta crise".

Este tipo de apps para rastrear a doença, e que já estão a ser desenvolvidas em vários países, podem ajudar, segundo a carta, a "limitar a propagação da doença e interromper as cadeias de transmissão". Os responsáveis dizem-se, de resto, comprometidos com o desenvolvimento de "aplicações de adesão voluntária, temporárias, que garantam a proteção da privacidade e que sejam desenvolvidas em código aberto", bem como "atingir o nível exigido de interoperabilidade transfronteiriça".

Os signatários do documento aproveitaram ainda para deixar um recado às tecnológicas, referindo que "o uso de tecnologias digitais deve ser projetado de uma forma que nós, como governos eleitos democraticamente, as possamos avaliar e julgar como aceitáveis para os nossos cidadãos e compatíveis com os nossos valores europeus”.