Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Procura de habitação familiar faz aumentar obra nova na Madeira

Autor: Redação

A ilha da Madeira está a viver dias de forte dinâmica no setor da construção. O Anuário Estatístico da Região Autónoma da Madeira 2015, publicado no final de 2016, evidencia que naquele ano foram licenciados 226 edifícios, mais 7,6% do que em 2014. Do total de edifícios licenciados, em 2015, 75,7% destinavam-se a habitação familiar.

Mais de metade (59,1%) dos edifícios licenciados para a habitação familiar eram construções novas (100% nos municípios de Porto Moniz, Ribeira Brava e Santana), conta o Jornal Económico, dando nota de que o município de São Vicente registou o valor mais baixo (33,3%).

À semelhança dos anos anteriores, em 2015, a maioria dos edifícios licenciados continuou a destinar-se a construções novas, representando este destino 59,3% do total de edifícios. Esta proporção registou um aumento face ao ano anterior (53,3% em 2014), o que evidencia a alteração da trajetória descendente das construções novas dos últimos anos, à custa da diminuição da importância da reabilitação de edifícios (obras de alteração, ampliação e reconstrução de edifícios), com um peso de 38,9% em 2015 (44,8% em 2014).

Valor das casas sobe mais nas moradias

A média anual do valor de avaliação bancária de habitação, em 2015, não ultrapassou os 1.182 euros/m2 (+2,2% que em 2014), sendo que, em termos relativos, o aumento foi mais acentuado nas moradias (+2,5%) do que nos apartamentos (+1,8%).

Para o ano em análise, as médias atingiram os 1.208 euros/m2 no caso dos apartamentos e os 1.150 euros/m2 nas moradias. Em Portugal Continental, o valor médio de avaliação bancária de habitação em 2015, foi de 1.034 euros/m2 (+2,6% que em 2014).