Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Megaprojeto imobiliário Foz do Tejo vai nascer no Jamor pela mão da Vanguard Properties

Investimento de 280 milhões de euros em Oeiras, contempla área residencial, escritórios, comércio e turismo.

Projeto da responsabilidade da equipa de projetistas da Saraiva + Associados  / Vanguard Properties
Projeto da responsabilidade da equipa de projetistas da Saraiva + Associados / Vanguard Properties
Autor: Redação

Vai ser num terreno com cerca de 30 hectares de área, que vai nascer o empreendimento Foz do Tejo. Situado no Alto da Boa Viagem, no Jamor, Concelho de Oeiras, o novo projeto da Vanguard Properties vai implicar um investimento de 280 milhões de euros. O objetivo é levantar 400 unidades residenciais, cerca de 25 moradias unifamiliares, aproximadamente 28.000 m2 de escritórios e de comércio, hotel com 150 quartos, um apart-hotel com 400 unidades e ainda um edifício de comércio e serviços.

A construção das infraestruturas do projeto está prevista começar até julho de 2020 e terá uma duração de 18 meses. Durante esse período terá início a construção de alguns dos edifícios, nomeadamente, residenciais. A conclusão do projeto - que integra o OIC (Organismo de Investimento Colectivo) e é administrado pela Insula Capital - deverá acontecer num prazo de cinco anos, incluindo também um centro desportivo internacional e de eventos, com campos de ténis, padel, ginásio e outros desportos.

Vanguard Properties
Vanguard Properties

O empreendimento desenvolve-se entre o Parque Desportivo do Jamor (Oeste), Cidade do Futebol (Norte) e a marginal (sul), onde a soma das áreas verdes privativas e do domínio público ocuparão mais de 94% da área do loteamento. "O terreno, em declive ou anfiteatro acentuado, permitirá que todos os futuros apartamentos beneficiem de excelente exposição solar e vistas, nomeadamente de rio e do Jamor, sendo que, muitos terão vista de Lisboa e de toda a foz do Tejo", anuncia a Vanguard Properties em comunicado.

Como vai ser o novo empreendimento

O projeto da responsabilidade da equipa de projetistas da Saraiva + Associados aposta numa construção que respeita o ambiente e a paisagem, com o mínimo impacto em termos construtivos, e será subdividido em duas áreas, cada uma designada por uma marca distintiva:

  • No Alto do Farol, localizado na zona frontal, sobranceira à avenida marginal, serão construídas um conjunto de moradias unifamiliares, recuperado um Palacete do século XIX e ainda desenvolvidos um conjunto de edifícios de baixo perfil, residenciais, comércio e serviços.
  • No Alto do Rio, situado na parte mais elevada do terreno, serão construídas três torres residenciais de dezoito pisos, um hotel e um apart-hotel. As tipologias previstas para o Foz do Tejo vão de T2 a T6, com alguns apartamentos em “penthouse” nos últimos pisos.
  • Vanguard Properties
    Vanguard Properties

"O conceito, pela primeira vez em Portugal, oferecerá aos seus residentes espaços destinados a trabalho fora dos edifícios residenciais, mas a uma distância nunca superior a 3 minutos a pé. Nesses espaços, qualquer habitante poderá trabalhar de forma segura e confortável, tirando partido de uma zona equipada com os mais modernos equipamentos", destaca o promotor na nota de imprensa.

A meio do empreendimento, a Oeste (sentido Sul-Norte) será construída uma nova acessibilidade permitindo o acesso direto e rápido às grandes vias de distribuição de tráfego, nomeadamente autoestrada A5. Junto à marginal, será igualmente, melhorada a acessibilidade.

“O Foz do Tejo será um projeto único em Portugal", defende José Cardoso Botelho, Managing Director da empresa, frisando que "a Vanguard Properties já acreditava neste conceito e agora, neste cenário pós pandemia, ainda mais acredita que no futuro haverá um elevado número de pessoas a trabalhar em teletrabalho entre 1 a 3 dias por semana.”

Vanguard Properties
Vanguard Properties