Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Fábrica do Cobre recebe mega projeto imobiliário pela mão da ABB

Novo investimento de 125 milhões de euros no Porto contempla 229 novas casas, lojas, um supermercado e vários espaços verdes.

Antiga Fábrica do Cobre no Porto ganha nova vida
Google Maps
Autor: Redação

A antiga Companhia Portuguesa do Cobre, situada no Porto, laborou mais de meio século. Mas a vida trocou-lhe as voltas e faliu em 1998. Agora a antiga Fábrica do Cobre - assim é conhecida - é propriedade do grupo ABB – Alexandre Barbosa Borges e terá uma oportunidade de renascer, já que o novo projeto prevê a construção de casas, lojas e espaços verdes num investimento avaliado em 125 milhões de euros.

As obras neste terreno que possui quase seis hectares já arrancaram há dois meses. Seis dos dez lotes existentes vão ser destinados à construção de edifícios habitacionais que podem ter entre cinco e sete pisos acima do solo, detalhou António Magalhães, diretor da área imobiliária da ABB, citado pelo Jornal de Negócios. Contas feitas, vão nascer na cidade Invicta 229 novas casas, num momento em que há falta de oferta de casas no país.

Mas não ficamos por aqui. Nos restantes quatro lotes do terreno situado, em concreto, entre a estação ferroviária de Contumil e a Estrada da Circunvalação, vão ser destinados a atividades económicas, como um supermercado, um posto de abastecimento de combustíveis e lojas de restauração. E também está previsto abrir lojas no rés-do-chão dos edifícios residenciais deste empreendimento, esclarece ainda.

Fábrica do Cobre no Porto
Vista aérea do terreno da antiga Fábrica do Cobre no Porto / Google Maps
Ao todo, este projeto conhecido como a Fábrica do Cobre terá 41.962 metros quadrados (m2) construídos acima do solo. E terá ainda lugar para 7.500 m2 de espaços verdades e para uma rede de passeios para peões e bicicletas com ligações à rede exterior.

Os trabalhos para dar uma nova vida à Fábrica do Cobre já arrancaram e deverão ser concluídos por fases, segundo escreve o mesmo jornal. No final de 2022, as lojas de quatro lotes já poderão começar a sua atividade. No início de 2023, está previsto que estejam concluídos dois edifícios habitacionais. E as restantes casas deverão estar concluídas até ao final de 2025.