Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Century 21: venda de casas aumenta 19% num ano e arrendamento cai 9%

Autor: Redação

O mercado de compra e venda de casas está ao rubro e o negócio do arrendamento continua estagnado. Nos primeiros seis meses de 2017, foram vendidos, só na Century 21 Portugal, 4.232 imóveis, mais 19% que no período homólogo, sendo que o valor médio dos mesmos desceu 11%, para os 141,7 mil euros. Já os arrendamentos diminuíram 9% num ano, tendo sido celebradas 1.168 transações entre janeiro e junho deste ano.

Os dados revelados pela mediadora permitem concluir que existe uma tendência descendente das transações de arrendamento, o que acontece desde 2014. O facto de arrendar casa continuar a ser muito caro para muitos portugueses ajuda, também, a explicar este fenómeno. Aliás, no primeiro semestre, o valor médio de arrendamento a nível nacional fixou-se nos 680 euros, mais 10% que os 620 euros verificados no período homólogo.

“A atual oferta do mercado de arrendamento não é suficiente, nem adequada, para dar resposta aos níveis de procura dos consumidores portugueses, o que provoca um aumento sistémico do valor médio do arrendamento. A maior procura de arrendamento verifica-se no centro das principais cidades do país, e de forma mais acentuada nas que possuem polos universitários”, refere a Century 21 Portugal em comunicado.

No que diz respeito ao mercado de compra e venda, importa referir que os imóveis mais vendidos são apartamentos de tipologias T2 e T3 e que o valor médio dos imóveis transacionados desceu 11% num ano: passou de 158,4 mil euros no primeiro semestre de 2016 para 141,7 mil euros nos primeiros seis meses deste ano.

De acordo com a mediadora, há um enorme desfasamento entre os valores dos imóveis que estão em comercialização e os valores dos imóveis que, efetivamente, são alvo de transações de venda, em cada zona do país. “As zonas de Cascais, Coimbra, Lisboa, Porto e Ponta Delgada são as que apresentam os indicadores mais expressivos de variação entre o ‘asking price’ e o ‘selling price’, o que significa que a diferença entre o valor médio dos imóveis em venda e o valor médio dos imóveis que foram transacionados, no primeiro semestre de 2017, é de 195% em Cascais, 115% em Lisboa, 100% em Coimbra, 110% no Porto e 96% em Ponta Delgada”, lê-se no documento.

Century 21 Portugal
Century 21 Portugal

Em jeito de conclusão, a Century 21 Portugal considera que é crucial “aumentar a oferta de habitação acessível para os portugueses” e adianta que já “começam a surgir projetos residenciais de obra nova nas zonas mais periféricas das cidades, para fazer face à procura”. A imobiliária alerta, no entanto, para a necessidade de continuar a apostar neste segmento.

Faturação dispara 32%

De referir ainda que entre janeiro e junho a Century 21 Portugal registou uma faturação de 14,9 milhões de euros, mais 32% que no período homólogo (11,3 milhões de euros). O volume de negócios mediado aumentou cerca de 32% em termos anuais, para os 373,3 milhões de euros, e 30% face ao semestre anterior, o último de 2016.