Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mota-Engil ganha contratos de 450 milhões nas Honduras, Angola e México

Na Guiné-Conacri, a empresa assinou um contrato de mineração no valor de 220 milhões de euros.

Mota-Engil
Mota-Engil
Autor: Redação

A Mota-Engil anunciou que três subsidiárias suas assinaram contratos de construção em três países: Honduras, Angola e México. Em causa estão contratos avaliados em 195 milhões de euros, 115 milhões de euros e 140 milhões de euros, respetivamente. 

“O contrato nas Honduras [realizado através Mota-Engil Latin America, BV] totaliza cerca de 195 milhões de euros, terá uma duração estimada de 36 meses e contempla a construção de uma nova instalação hidroelétrica denominada de El Tornillito com uma potência instalada de 194 MW”, lê-se no comunicado enviado pela construtora à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em Angola, através Mota-Engil Engenharia e Construção África, foi assinado um contrato que totaliza cerca de 115 milhões de euros. “Terá uma duração estimada de 30 meses e contempla a execução de três atividades principais: a conclusão do sistema elevatório
norte, a construção do perímetro irrigado do Calueque e a construção de uma central de geração híbrida. Prevê-se que o financiamento integral deste projeto seja assegurado por uma instituição de crédito à exportação”, refere a empresa.

Por fim, no México, através da Mota-Engil México, “obteve autorização para a aquisição da Concessionária da Autopista Cuapiaxtla-Cuacnopalan, com uma extensão total de 63km, dos quais os 26km existentes apenas serão reabilitados”. “Esta concessão implica um investimento total superior a 200 milhões de euros, um prazo de 30 anos após o fecho financeiro, incluindo 24 meses de período de construção para executar cerca de 140 milhões de euros, e uma taxa interna de rentabilidade garantida de 13,5% em termos reais”, explica a Mota-Engil.

De referir que a Mota-Engil México, associada a um fundo de investimento (50/50), deterá 100% da concessão.

“Deste modo, a adjudicação dos acima referidos contratos é mais um exemplo relevante da dinâmica comercial da Mota-Engil, quer na América Latina, quer em África, confirmando a concretização de um ‘pipeline’ de projetos de dimensão assinalável”, lê-se no documento.

Noutro comunicado enviado à CMVM, a empresa revela que assinou um contrato de mineração na Guiné-Conacri no valor de 220 milhões de euros. O mesmo foi celebrado através da Mota-Engil Engenharia e Construção África e “terá uma duração estimada de 6 anos e 9 meses”, contemplando sobretudo “serviços de mineração para uma mina de ouro propriedade da Société des Mines de Mandiana, S.A..”