Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Carteiras de imóveis e malparado rendem 6 mil milhões  – Novo Banco é o “campeão” de vendas

Photo by Ricardo Resende on Unsplash
Photo by Ricardo Resende on Unsplash
Autor: Redação

Os bancos a operar em Portugal continuaram empenhados na limpeza de ativos tóxicos do seu balanço em 2019. Estima-se que a venda de ativos imobiliários e portefólios de crédito malparado (NPL - Non Performing Loans) tenha rendido cerca de 6.000 milhões de euros, segundo dados da consultora JLL – em 2018 foram 5 mil milhões e, em 2017, 2,7 mil. O Novo Banco, sem surpresa, continua a ser o “campeão” de vendas, seguido pela Caixa Geral de Depósitos e Millennium BCP.

O Novo Banco conseguiu vender o Project Nata II por 3,3 mil milhões, um portefólio de mal parado que foi parar às mãos do fundo norte-americano Davidson Kempner. Também fechou a transação do Project Sertorius, por 450 milhões de euros, vendido aos norte-americanos Cerberus, como o idealista/news noticiou.

Quem também não se pode queixar é a Caixa Geral de Depósitos (CGD). O banco estatal destacou-se em quatro operações, segundo o Expresso. Fechou a venda do Project Neptune, no valor de 500 milhões de euros; do Project Mars e Project Mars II, cada uma delas avaliada em 300 milhões de euros; e a Project Eagle, no valor de 200 milhões de euros.

O BCP transacionou o Project Pumas, por 400 milhões de euros, e o Montepio vendeu o portfólio Project Brick por 200 milhões. O Project Lemon tambémn rendeu 100 milhões ao BPI.