Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Mota-Engil ganha obra de 636 milhões no México e mantém “dinâmica comercial em tempos de pandemia”

Trata-se do “maior projeto de investimento público ferroviário nos últimos anos na América Latina”.

Guillaume TECHER on Unsplash
Guillaume TECHER on Unsplash
Autor: Redação

A Mota-Engil anunciou, esta quinta-feira (23 de abril de 2020), que ganhou o concurso público internacional para a construção do primeiro troço ferroviário do “Tren Maya”, no México, avaliado em 636 milhões de euros. Uma adjudicação que “confirma a sustentabilidade” do negócio da construtora, bem como a sua “dinâmica comercial mesmo em tempos de pandemia”. 

“A Mota-Engil informa sobre a adjudicação à Mota-Engil México, numa parceria, liderada pela Mota-Engil com 58%, com a China Communications Construction Company (CCCC), de um contrato para a construção do primeiro lote da nova infraestrutura ferroviária designada ‘Tren Maya’, no México. O contrato totalizará cerca de 636 milhões de euros e corresponde a um lote, com 228 km, da referida infraestrutura - o maior projeto de investimento público ferroviário nos últimos anos na América Latina - e que irá servir para a promoção da atividade económica de 5 estados no sul do país (Tabasco, Campeche, Yucatán, Quintan Roo e Chiapas)”, lê-se no comunicado enviado à CMVM.

Trata-se, segundo a construtora, de uma “importante adjudicação”, que “vem demonstrar as capacidades técnicas” do grupo Mota-Engil “na área ferroviária, já evidenciadas em várias geografias, bem como reforçar a presença” da empresa “como um ‘player’ incontornável no mercado mexicano e na região da América Latina”. 

“Ao alcançar mais este relevante objetivo comercial no México, a Mota-Engil reforça o equilíbrio da sua atividade entre as três regiões onde atua e confirma a sustentabilidade do seu negócio e a dinâmica comercial mesmo em tempos de pandemia”, lê-se na nota.

De acordo com o Expresso, o “Tren Maya” é um mega-projeto ferroviário de linhas suburbanas de alta velocidade lançado pelo Presidente mexicano, Lopes Obrador, e que prevê a construção de 1.460 quilómetros de linha de comboio para entrar em operação em 2024.

A publicação acrescenta que este é o primeiro projeto de construção que a Mota-Engil faz em consórcio com a CCCC, uma das quatro maiores construtoras mundiais.