Notícias sobre o mercado imobiliário e economia
Conteúdo patrocinado

Estrutural Group e Rio Capital investem 14 milhões no Vila Viva, que já é um sucesso de vendas

Trata-se de um empreendimento que está a nascer em Vila Franca de Xira, “às portas” de Lisboa. Terá 85 apartamentos de T1 a T4.

Vila Viva
Vila Viva
Autor: Redação

As empresas Estrutural Group e Rio Capital uniram-se para um investimento de mais de 14 milhões de euros que vai revigorar Vila Franca de Xira, “às portas” de Lisboa. O empreendimento em questão chama-se Vila Viva e ocupa uma área de 15.000 metros quadrados (m2), encontrando-se numa das principais paisagens da cidade, com vista para o rio Tejo e junto à A1. São, ao todo, 85 novos apartamentos.

Para Júlio Luz, CEO da Rio Capital, o empreendimento trouxe uma diversificação ao portfólio do grupo, que precisou de aguardar pelo projeto certo: “Identificar ativos nessa gama, que conciliem prazo, resultado e limite de exposição é sempre um desafio. O Vila Viva conseguiu equalizar estas características de forma surpreendente”. 

Para Hugo Mendes Pinto, Managing Partner da Estrutural Group, o posicionamento da empresa segue voltado para projetos que respondam ao mercado interno. Com mais de 2.000 residências entregues em 16 anos de atividade, a Estrutural mantém o seu posicionamento, que é desenvolver projetos que sejam dirigidos ao público local. “Tanto no Brasil quanto aqui em Portugal, sempre esteve muito bem definido no nosso posicionamento estratégico o foco no público interno. Desde o momento da internacionalização da nossa marca, procuramos ativos nesse enquadramento nas regiões periféricas de Lisboa. Estamos confiantes de que este segmento será protagonista na retoma e estabilização da atividade imobiliária nos próximos anos”, refere.

O Vila Viva à “lupa”

O Vila Viva traduz-se num novo conceito de viver bem em Vila Franca de Xira. Um empreendimento habitacional privado com localização de excelência, a 400 metros do centro da cidade e a 20 minutos de Lisboa. Serão 85 luminosos e espaçosos apartamentos com tipologias T1 a T4, todos com varandas e uma vista privilegiada para o Tejo e para a serra. 

A Tecnovia foi a construtora escolhida pelos promotores para a empreitada e vai agora incluir esta obra no seu extenso e expressivo portfólio. Os trabalhos seguem desde julho, com as obras a avançar em direção à entrega da primeira fase, no verão do próximo ano. 

O Vila Viva chega como um projeto para atender a nova demanda pós-Covid-19, onde há uma busca crescente por espaços internos maiores e multifuncionais, bem como terraços e varandas que viraram essenciais. 

Vila Viva
Vila Viva

As amplas janelas potencializam a entrada de luz natural e a integração entre o interior e suas varandas, que podem chegar aos 30 m2, além de explorar a exuberante vista rio. Os apartamentos do piso 0 possuem terraços em relva sintética que têm até 130 m2 e as áreas são generosas, independentemente da tipologia. Os T2, por exemplo, têm salas com mais de 40 m2 e quartos que chegam aos 18 m2. Com a serra como sua vizinha, os limites entre interior e exterior ficam mais difíceis de se distinguirem. 

Outra tendência decorrente da pandemia foi o aumento da procura de imóveis em regiões vizinhas a Lisboa. Vila Franca de Xira está próxima da capital, mas longe da agitação e do barulho. Esta cidade beira-rio oferece acesso à serviços de qualidade enquanto conserva o seu espírito tradicional. Entre os vários benefícios da cidade, destaca-se o fácil acesso à A1, a linha de comboio da Azambuja, a ponte Marechal Carmona e um dos maiores e mais modernos hospitais do país. Situada entre dois polos industriais, o de Alverca e o do Carregado, e a 12 minutos de comboio da Estação do Oriente, Vila Franca de Xira oferece o refúgio que o fim de um dia de trabalho merece, com tranquilidade e bons restaurantes.

Um sucesso de vendas

Perante tudo isto, não restam dúvidas do motivo de o Vila Viva já ser um sucesso de vendas. Foram 40 apartamentos vendidos em menos de seis meses, e em plena crise da Covid-19, restando apenas cinco unidades (T3 e T4) nesta primeira fase. O início das obras foi o grande fator de aceleração das vendas que estão sob a responsabilidade da Invista e da Remax Latina. 

Para Carlos Silva, COO Esstrutural Group, “desde as primeiras análises ao ativo, já tínhamos muita confiança no potencial comercial do Vila Viva”. “Com a pandemia sentimo-nos desafiados a abrir a comercialização mesmo neste novo cenário, e assinámos o primeiro CPCV no dia 19 de março. De lá pra cá, a procura só aumentou. É nesse entusiamo que estamos a preparar o lançamento da segunda fase”, acrescenta. 

Quem não quer perder a oportunidade de viver neste belo empreendimento deve apressar-se, pois já há lista de espera para aquisição de apartamentos tipologia T2 no segundo edifício.

Vila Viva
Vila Viva

Atividade da construtora e dos promotores

A construtora Tecnovia, com 58 anos no mercado, conta atualmente com um quadro de mais de dois mil colaboradores e está presente em três continentes.

A Estrutural Group acumula no imobiliário as disciplinas de construção e promoção há quase duas décadas. Está em força no Brasil, onde já entregou mais de 2.000 unidades residenciais e quase 700 quartos de hotéis, somando mais de 200.000 m2 de área construída, e atualmente mantém atividade também em Portugal e nos EUA. 

A Rio Capital é uma empresa privada de investimento imobiliário que desenvolve projetos de raiz. Atualmente, tem cerca de 30.000 m2 de construção acima do solo, divididos em oito projetos em dois seguimentos estratégicos: ‘state of the art’ ativos residenciais e desenvolvimento de ativos de rendimento, todos na região da Grande Lisboa.