Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Escritórios no Porto: investidor espanhol compra edifício D. Manuel II

Imóvel estava nas mãos da holandeda NIPA Capital desde outubro de 2019 e volta agora a ser vendido.

Edifício de escritórios D. Manuel II no Porto vendido a um investidor espanhol
Savills
Autor: Redação

O emblemático edifício de escritórios D. Manuel II, no Porto, ficou menos de dois anos nas mãos da holandesa NIPA Capital: comprou-o em outubro de 2019 à Imoprime – Fundo Investimento Imobiliário Fechado e vendeu-o, agora, a um investidor espanhol, cujo nome não foi revelado, nem o valor do negócio. Trata-se de um edifício com cerca de 13.000 metros quadrados (m2) distribuídos por 13 pisos acima do solo e que tem como inquilino a seguradora Tranquilidade. 

A NIPA Capital completa, assim, o “primeiro desinvestimento em Portugal”, refere em comunicado a Savills, que assessorou a empresa na alienação do D. Manuel II, em regime de co-exclusividade com a CBRE. “A NIPA Capital aproveitou a oportunidade para alcançar um substancial retorno sobre o investimento, menos de dois anos após a aquisição”, lê-se na nota.

Em causa está um ativo que usufrui de uma localização única no centro da cidade do Porto, encontrando-se nas imediações do Palácio de Cristal e da recentemente remodelada Super Bock Arena. “A propriedade oferece instalações com uma vista privilegiada sobre o rio Douro e cerca de 13.000 m2 distribuídos por 13 pisos acima do solo, bem como aproximadamente 150 lugares de estacionamento subterrâneo”, acrescenta a Savills.

Segundo Nikolaas Henket, Partner na NIPA Capital, esta transação deixa a empresa mais perto de ser “líder de investimentos na cidade do Porto”. “Esta venda dá-nos a oportunidade de reinvestir no mercado português. Estamos atualmente a expandir as nossas operações em Portugal, focados nas maiores cidades”, comenta. 

"Uma das maiores transações de escritórios de sempre no Porto"

Já Alberto Henriques, Investment Associate Director na Savills, considera que o negócio confirma “que o Porto continua a ser um destino muito procurado pelos investidores internacionais”. “O segmento de escritórios tem dado provas da sua resiliência durante o último ano, e continua a ser o foco de muitos inquilinos nacionais e internacionais”, acrescenta, salientando que se trata de “uma das maiores transações de escritórios de sempre” na cidade Invicta.

Uma opinião partilhada por Miguel Alvim, Capital Markets Associate Director na CBRE, que considera que o Porto tem “fortes sinais de consolidação e uma resiliência impressionante durante a crise pandémica”. “A CBRE está absolutamente radiante por ter assessorado a NIPA Capital nos processos de aquisição, arrendamento e alienação. Este é mais um exemplo da grande força do Porto”, conclui.