Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Arrendamento de escritórios

Últimas notícias sobre "Arrendamento de escritórios" publicadas em idealista.pt/news

Galerias do Hotel Ritz Four Seasons renascem como escritórios de luxo

Nas antigas galerias do Hotel Ritz Four Seasons, em Lisboa, vai nascer um conceito diferente – e luxuoso – de escritórios. O Castilho 77 Offices nasce na sequência de um investimento de cerca de 15 milhões de euros do Grupo Sodim. Trata-se de um empreendimento distribuído por três pisos que tem uma área de aproximadamente 2.345 metros quadrados (m2) de espaço destinado a escritórios, cerca de 1.000 m2 para restauração e 130 m2 de terraço exterior. O parque de estacionamento tem capacidade para 130 lugares.

Notícia sobre:

Escritórios em Lisboa: portuguesa Arquiled instala-se no Edifício Prime, em Alfragide

A Arquiled, empresa industrial e tecnológica portuguesa especializada em soluções de iluminação pública – tem sede em Mora, no Alentejo, onde possui a sua fábrica –, instalou-se no Edifício Prime, gerido pela Refundos, em Alfragide, Lisboa.

Notícia sobre:

Escritórios em Lisboa: MYW Portugal é a nova inquilina da Torre 1 Amoreiras

A MYW Portugal, um marketplace internacional, é o mais recente inquilino da Torre 1 Amoreiras, um espaço de escritórios localizado na zona prime de Lisboa. Trata-se de um edifício que foi “alvo de uma modernização nas áreas comuns, o que o torna numa boa opção para empresas que procuram modernidade e prestígio”, refere a Worx, responsável pela colocação, em comunicado.

Notícia sobre:

Negócios em tempos de pandemia no Porto: Trindade Domus vendido por mais de 40 milhões

O Trindade Domus, um edifício localizado no Porto com 20.000 metros quadrados (m2) de área bruta locável, conjugando escritórios (60%) e uma galeria comercial (40%), tem novo dono, tendo sido comprado pela Finangeste em ‘joint venture’ com um investidor institucional sediado no Reino Unido por mais de 40 milhões de euros.

Notícia sobre:

Mercado de escritórios do Grande Porto reage à pandemia: ocupação dispara 38% no 1º semestre

O mercado de escritórios do Grande Porto registou um aumento de 38% no volume de ocupação no primeiro semestre de 2020 face ao período homólogo. Apesar de se registarem menos transações (quebra de 4%), o valor médio contratado por operação aumentou, o que se traduziu num incremento do valor total de área contratada, fixando-se nos 28.381 metros quadrados (m2), mais 7.881 m2 que no mesmo período de 2019. Em causa estão dados que constam no OnOffice, relatório publicado pela Predibisa, responsável por 51% (14.403 m2) da área colocada nos primeiros seis meses do ano.

Notícia sobre:
Annie Spratt on Unsplash

Teletrabalho ganha força, mas espaços físicos das sedes das empresas continuarão a ser fundamentais

A Covid-19 virou o mundo do avesso. Apareceu “do nada”, sem avisar, e teve (e está a ter) impacto em todos os setores de atividade, nomeadamente no setor imobiliário. O segmento de escritórios não escapou aos danos colaterais da pandemia, nomeadamente devido ao fenómeno do teletrabalho, que ganhou força nos últimos tempos. Um tendência que “é incontornável”, diz ao idealista/news Frederico Mondril, Associate Director de Propety Management na consultora CBRE, acrescentando, no entanto, que os “espaços físicos das sedes das empresas não vão perder o seu papel fundamental para o negócio das mesmas”.

Notícia sobre:

Ocupação de escritórios cai a pique em Lisboa em maio: a culpa é da Covid-19

A ocupação de escritórios em Lisboa atingiu 5.271 metros quadrados (m2) em maio, menos 82% que no mês anterior e menos 70% que no mesmo período do do ano passado. “É o primeiro mês com um impacto visível na absorção de escritórios na capital desde o início da pandemia”, refere a consultora JLL, em comunicado. Já no Porto, a ocupação de escritórios atingiu 1.834 m2, menos 68% que no mesmo mês do ano passado, mas mais 17% que em abril deste ano.

Notícia sobre:

Negócios de escritórios em tempos de pandemia: Cofidis compra Natura Towers por 46 milhões

Esta será, provavelmente, uma das maiores transações efetuadas no mercado de escritórios em Portugal no primeiro trimestre do ano. Em plena pandemia de novo coronavírus, portanto. Trata-se da compra, por 46,5 milhões de euros, das Natura Towers, localizadas na zona de Telheiras, em Lisboa, que agora ficam nas mãos da multinacional francesa Cofidis, que aqui – são duas torres – instalará a sua nova sede no país.

Notícia sobre:

Abril, um mês dinâmico de escritórios em Lisboa: ocupados quase 30.000 m2... em plena pandemia

Boas notícias para o segmento de escritórios em Lisboa. Em abril, em plena pandemia de novo coronavírus e numa altura em que muitos portugueses estão em teletrabalho, foram ocupados 29.756 metros quadrados (m2) de escritórios na capital. Trata-se da maior absorção mensal do ano, sendo cerca de 200% superior à verificada em março e 160% face ao mesmo mês do ano passado. 

Notícia sobre:

Impacto do Covid-19 nos escritórios: ocupação no Porto supera a de Lisboa em março

O segmento de escritórios em Portugal está a sofrer também, claro, os efeitos da pandemia do novo coronavírus. “Danos colaterais” que estão, no entanto, a ser sentidos de forma diferente em Lisboa e Porto. Na capital, em março, foram ocupados 9.682 metros quadrados (m2), bem menos que no mês anterior (-54%) e no período homólogo (-65%). Já na Invicta, o ‘take-up’ foi superior ao de Lisboa, com a atividade a atingiu 11.140 m2, mais que em fevereiro e que no mês anterior do ano passado.

Notícia sobre: