Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

POP com 100% dos escritórios arrendados e Concentrix ocupa torre B

Tiago Violas Ferreira destaca o regresso da confiança dos operadores internacionais ao mercado escritórios do Porto.

Autor: Elisabete Soares (colaborador do idealista news)

O POP – Porto Office Park, promovido pelo grupo Violas Ferreira, tem já arrendados os cerca de 30 mil metros quadrados (m2) de área de escritórios. Um facto que deixa particularmente satisfeito o empresário, que interpreta estes resultados como um sinal de confiança dos operadores internacionais e a confirmação de que o mercado de escritórios no Porto está de regresso ao bom momento vivido no período pré-pandemia.

Em declarações ao idealista/news, Tiago Violas Ferreira, presidente executivo da holding Violas Ferreira, confirmou que a multinacional Concentrix - consultora especializada em outsourcing e na prestação de serviços -, ocupou na totalidade do espaço da torre B, com cerca de 15 mil m2 de área, enquanto que na torre A – com área idêntica, tem já assinados um conjunto de contratos com empresas para os espaços restantes.

No início de 2020, a Concentrix começou por arrendar quatro pisos no edifício B do POP, com uma área total de 7.600 m2 e com capacidade para 630 colaboradores, tendo sido uma das primeiras empresas a instalar-se no empreendimento, avançou na altura Tiago Violas Ferreira.

Contudo, já durante este ano a Concentrix foi aumentando a área ocupada, terminando, recentemente, por fazer uma contrato para os restantes 3.540 m2, contribuindo para a ocupação integral deste edifício.

No caso da Torre A terá no total oito inquilinos, como destaque para empresas como a nova sede da consultora PwC, da tecnológica portuense ITSector, da PLMJ – Sociedade de Advogados e da Enercon Portugal, que já se encontram instaladas.

Violas Ferreira
Violas Ferreira

O valor médio de arrendamento foi de 17 euros/m2. Ao valor da renda acresce 1,78 euros por m2 relativos a despesas de áreas comuns, como segurança e limpeza. Os lugares de garagem serão pagos à parte (100 euros por lugar por mês), sendo 10% direcionados a veículos elétricos, e com duas dezenas de estacionamento para bicicletas.

Em termos de comercialização, as consultoras Predibisa, JLL e Cushman & Wakefield lideraram as principais operações de arrendamento.

Restaurante, ginásio e campos de paddle em fase de conclusão

Com a conclusão da construção no início de 2020, o POP representou um investimento que rondou os 100 milhões de euros, tendo ainda em fase de conclusão o edifício que vai albergar as ‘amenities’, constituídas por vários equipamentos.

De acordo com Tiago Violas Ferreira trata-se de um edifício, ainda em construção, com a conclusão prevista no final do próximo mês, que tem previsto um restaurante, ginásio, sala de yoga, três campos de paddle, balneários e um ‘beer garden’– um espaço de convívio, com mesas corridas e bancos -, “onde será possível conversar, enquanto se bebe uma cerveja”, conta.

O POP é composto por duas torres, com nove pisos acima do solo, oferecendo áreas médias por piso de 1.725 m2 – sendo que a unidade mínima de arrendamento é um quarto de piso, que corresponde a 436 m2 - aos quais se somam outros três pisos de estacionamento subterrâneo com 600 lugares.

O empreendimento – localizado na Avenida Sidónio Pais, na zona da Boavista, em pleno centro do CBD do mercado de escritórios do Porto -, está rodeado por 15.000 m2 de áreas verdes exteriores, disponibilizando um conjunto de espaços e serviços comuns aos seus ocupantes, incluindo auditório, salas de reunião e eventos, cafetaria com área lounge exterior e serviço de concierge, entre várias outras comodidades.

Violas Ferreira
Violas Ferreira

O POP recebeu vários prémios de imobiliário, sendo o mais recente o Prémio Nacional do Imobiliário, na categoria de escritórios, atribuído pela revista Magazine Imobiliário.

Aposta na qualidade, eficiência e na tecnologia

Preconizando a nova geração de escritórios, Tiago Ferreira destaca a aposta e o investimento feito na “qualidade, eficiência e tecnologia” do projeto. Uma aposta que foi certificada pelo conhecido sistema BREEAM, que atribuiu ao edifício a classificação de ‘Excelente’ na categoria International New Construction.

Com projeto de arquitetura da Broadway Malyan e engenharia da A400, os edifícios são revestidos a vidro e lâminas de alumínio com sistema de sombreamento. Além de uma fachada emblemática que proporciona vista panorâmica sobre a cidade, esta solução garante o controlo solar, reduzindo o consumo de energia.

As obras de construção foram executadas pela Mota-Engil e a gestão de projeto e obra esteve a cargo da Engexpor, que acompanhou os trabalhos ao longo dos últimos 25 meses.