Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Tens um imóvel para reabilitar e arrendar? Desde ontem há um programa público para te apoiar no investimento

Autor: Redação

Estás interessado em reabilitar o teu imóvel para depois colocá-lo no mercado de arrendamento? Então boas notícias: entrou ontem em vigor o programa Reabilitar para Arrendar - Habitação Acessível, a que já te podes candidatar para ajudar a financiar o teu investimento com uma taxa fixa de 2,9% por 15 anos.

Ontem, o Governo assinou com o Banco Europeu de Investimento (BEI) uma linha de financiamento de 25 milhões de euros e apresentou as linhas mestras do programa que vai contar com uma dotação total de 50 milhões de euros.

Estas verbas disponíveis para os investidores privados deverão permitir reabilitar dcerca de duas mil habitações e 300 edifícios nos próximos três anos, segundo as estimativas do Ministério do Ordenamento do Território.

Com os 25 milhões de euros disponibilizados pelo BEI, 15 milhões de euros pelo Banco de Desenvolvimento do Conselho da Europa e 10 milhões de euros pelo Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), o programa terá na fase inicial uma taxa fixa de 2,9% e possibilitará custear até 90% dos trabalhos totais, explica a Lusa.

A este plano pode concorrer “qualquer pessoa individual ou coletiva” que realize a reabilitação num prazo máximo de 12 meses e coloque o imóvel em regime de renda condicionada, ou seja, com um valor 20% a 30% inferior às rendas praticadas em regime livre, diz ainda a agência de notícias.

Outra condição do programa, que estava agora apenas disponível a municípios, será a sua aplicação em edifícios com 30 ou mais anos e preferencialmente localizados em áreas de reabilitação urbana.

Este financiamento dará ainda um período de carência capital de seis meses após a conclusão das obras.

O ministro do Ordenamento do Território, Jorge Moreira da Silva, anunciou ontem que “nas próximas semanas” deverão ser divulgadas as condições dos financiamentos comunitários, ao abrigo do Portugal 2020, para eficiência energética, reabilitação e regeneração urbana, num total de mil milhões de euros.