Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Turcos com quase tantos vistos gold em dois meses como em 2016

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Os turcos estão cada vez mais atentos ao imobiliário nacional, um interesse aumentou a partir do final do ano passado. A comprovar esta tendência está o número de vistos gold atribuídos aos cidadãos turcos já este ano: 13 autorizações de residência para atividade de investimento (ARI) – como é chamado o programa que entrou em vigor em outubro de 2012 – em janeiro e fevereiro, quase tantas como as atribuídas em 2016, que foram 15.

Segundo o Diário de Notícias, que se apoia em dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), já foram concedidos ao todo 42 vistos gold a cidadãos turcos, sendo a maioria (28) atribuída desde o verão do ano passado e nos dois primeiros meses de 2017.

A crise política na Turquia e o referendo marcado por Erdogan para abril são algumas das razões apresentadas para a saída do país de cidadãos de uma classe social mais elevada. Essas mesmas pessoas começam então a olhar para Portugal como um bom investimento, já que conseguem o visto através da compra de casas avaliadas em mais de 500.000 euros.

Os números não deixam dúvidas: em 2012, 2013 e 2014 foram concedidos nove vistos gold a cidadãos turcos, em 2015 cinco, no ano passado 15 e já este ano 13.  

Uma tendência que pode ser explicada com a “situação política do país", disse Patrícia Viana, sócia corresponsável pela área imobiliária da Abreu Advogados, que tem estado a tratar de alguns pedidos de entrada no nosso país através dos vistos gold. “Os turcos não só estão a pedir mais vistos gold como também estão a recorrer mais ao investimento imobiliário em Portugal puro e simples”, adiantou.

No início de fevereiro, o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, aprovou a realização de um referendo, marcado para 16 de abril, que visa fazer uma revisão constitucional que aumentará os seus próprios poderes.

Instabilidade e insegurança 

Também Tiago Magalhães, advogado da CMS Rui Pena & Arnaut, confirma esta tendência, salientando que é notório um “abrandamento de pedidos de vistos gold por parte da comunidade chinesa desde o final do ano passado”. “No entanto, apesar de ainda ser visível algum interesse por parte desta comunidade, tem-se verificado que nos últimos meses houve um despertar de interesse por parte de cidadãos oriundos da Turquia e de cidadãos árabes, em grande parte motivado por questões de segurança e vendo em Portugal um porto de abrigo, caso venha a tornar-se necessário, e, claro, uma janela de oportunidades”, referiu, citado pela publicação.

De referir que desde 2012 e até ao final de fevereiro de 2017 foram investidos 2,8 mil milhões de euros em Portugal na sequência da concessão de vistos gold, tendo sido atribuídos 7.396 vistos.