Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Boa altura para comprar casa? Três fatores a considerar na hora de decidir

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Comprar ou não uma casa. Há sempre alguém a viver este dilema. Devo comprar? Devo esperar? A decisão nunca é fácil. Numa altura em que os bancos voltam a estar mais disponíveis para o crédito à habitação, esta pode ser uma boa altura para comprar. Mas será mesmo assim? A Associação de Defesa dos Direitos do Consumidor (Deco) analisou três fatores que influenciam o mercado e que te podem ajudar a decidir.

Os números mais recentes, que vale a pena recordar, mostram que comprar casa em Portugal está definitivamente mais caro. Num ano – do quarto trimestre de 2016 para o quarto trimestre de 2017 – os preços medianos dos alojamentos vendidos subiram 7,6%, tendo passado de 866 euros por metro quadrado (m2) para 932 euros por m2, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Em Lisboa, por exemplo, comprar casa custa 2.438 euros por m2, mas os preços já chegam a superar os 3.820 euros por m2.

As freguesias de Santo António e da Misericórdia são as mais caras. Nestas duas zonas da capital, os imóveis foram vendidos, no quarto trimestre do ano passado, por 3.827 euros por m2 e por 3.520 euros por m2. Trata-se de um aumento homólogo de 54,3% e 30,2%, respetivamente.

Ainda assim, a descida das taxas de juro do crédito à habitação, a baixa remuneração dos depósitos a prazo e de outros produtos de capital garantido e o aumento do investimento estrangeiro (motivado pelos vistos gold e pelo regime fiscal para residentes não habituais) estão a impulsionar a procura para a compra de casa, de acordo com a Deco.

Mas vamos à pergunta que se impõe: vale a pena comprar ou vale a pena esperar? Tem atenção aos três fatores que te apresentamos de seguida.

A oferta de imóveis tem diminuído

Segundo o INE, o número de edifícios licenciados e apartamentos concluídos é menos de metade do volume de 2008. Quer isto dizer que, se por um lado a procura de imóveis tem aumentado, por outro, a oferta tem diminuído. Um cenário que está influenciar a subida de preços, de acordo com a Deco.

Valor dos imóveis acima da avaliação

A Deco analisou 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e concluiu que o preço médio das casas anunciadas num site da especialidade está acima do valor médio de avaliação bancária: 35% no caso dos T2 e 30% no caso dos T3. “Na prática, isto pode significar que o setor bancário está a financiar imóveis que são vendidos por um preço superior ao da avaliação bancária”, argumenta a associação. Significa isto que terás de pagar mais pelo teu imóvel.

Procura externa pode abrandar

“Uma eventual diminuição da procura externa é outro fator que pode contribuir para uma bolha imobiliária”, afirma a Deco, recordando que a subida dos preços dos imóveis, principalmente em Lisboa e no Porto, tem sido motivada, em parte, pela presença de estrangeiros que compram casa sem pedir crédito bancário.

Não há indicadores que apontem para uma redução da procura de imóveis pelos estrangeiros, “mas tudo pode mudar se os estrangeiros encontrarem um novo destino”, acrescenta.  

A Deco conclui, assim, que talvez não seja a melhor altura para comprar casa, já que “o mercado está caro” e que “há que ser seletivo nas oportunidades que surgem”. A associação recomenda ainda que – caso decidas avançar – não pagues “muito acima do valor que resultar da avaliação”.