Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Proprietários acusam partidos de “destruir mercado de arrendamento”

Autor: Redação

Luís Menezes Leitão, presidente da Associação Lisbonense de Proprietários (ALP), teceu duras criticas aos partidos, acusando-os de estarem a “destruir o mercado de arrendamento” com “propostas radicais”. Segundo o responsável, está a ser feito um “ataque constante aos proprietários e sem qualquer justificação”, o que acaba por incutir o “pânico” entre os senhorios e prejudicar os inquilinos.

“Está a ocorrer uma política de terra queimada no arrendamento, com grande fanatismo por parte dos deputados, que têm um ódio ideológico aos senhorios”, acusou Luís Menezes Leitão, em declarações no Fórum TSF.

Ana Pinho na expetativa 

A secretária de Estado da Habitação, Ana Pinho, que também participou no programa, mostrou-se pouco preocupada com o facto do PS ter pedido, pela segunda vez, para adiar para depois da votação global do Orçamento do Estado de 2019 (OE2019) o processo de votação das propostas de lei do Governo sobre arrendamento urbano, arrendamento acessível e alterações da fiscalidade do imobiliário.

“Estamos a apelar à celeridade deste processo deste que entregámos as nossas propostas que foram aprovadas em Conselho de Ministros, em abril. O objetivo final é termos tudo em vigor no dia 1 de janeiro de 2019, estamos a aguardar como decorrerá o processo no Parlamento”, disse a governante, salientando que as negociações ainda estão a decorrer e que o que o PS fez foi “solicitar um adiamento”. “Estamos a meio do jogo”, acrescentou.

De recordar que Helena Roseta apresentou a demissão do cargo de coordenadora do Grupo de Trabalho da Habitação, Reabilitação Urbana e Políticas de Cidades (GTHRUPC), por discordar deste adiamento, alegando que o PS “não deu a devida importância” à habitação. Na sequência desta decisão, o PS retirou a deputada independente do referido grupo, tendo sido eleito para o cargo Hugo Pires.