Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

JPS Group aposta em projetos imobiliários para a classe média/alta portuguesa

Autores: @Frederico Gonçalves, Leonor Santos, Luis Manzano

A JPS Group nasceu há três anos e “foram anos extremamente compensadores”. Em entrevista ao idealista/news, João Sousa, CEO do grupo empresarial português, destaca o projeto SKYCITY, que está a nascer na Serra de Carnaxide, às portas de Lisboa, e um outro mais recente, o Dream Living. São ambos de construção nova, uma aposta clara da empresa. E fala das próximas apostas, na zona da capital e na costa alentejana.

“O SKYCITY – são 49 moradias isoladas, 66 moradias em banda e 255 apartamentos – é um marco na construção nova na grande Lisboa. É um marco de viragem na própria promoção imobiliária na grande Lisboa e mesmo a nível nacional”, começa por dizer João Sousa, frisando que o Dream Living – são 90 apartamentos – “vai trazer uma certa diferença em termos de viver e de bem estar em termos de qualidade para os habitantes”.

SKYCITY concluído até 2021

Relativamente ao SKYCITY, o responsável adianta que as moradias isoladas e em banda estão totalmente vendidas. A venda dos apartamentos também está a correr bem, já que cerca de 80% dos 255 imóveis têm dono. 

"Cerca de 80% dos 255 apartamentos do empreendimento SKYCITY já estão vendidos" 
João Sousa

“Estamos a falar de um empreendimento que está a ser feito por fases. Neste momento, estão a ser levantadas moradias em banda, edifícios multifamiliares e moradias isoladas. As primeiras entregas, as moradias em banda, vão ser feitas no início de 2019. A meio de 2019 serão entregues as primeiras moradias isoladas e no final de 2019 os primeiros edifícios multifamiliares. Estimamos que o empreendimento esteja totalmente concluído no final de 2020 ou a meio de 2021”, revela o CEO da JPS Group.

Sobre o Dream Living, que foi oficialmente apresentado dia 4 de outubro de 2018, no Salão Imobiliário de Portugal (SIL), João Sousa enaltece o facto de ser um projeto que “foi concebido com um espaço grande de lazer e viver”. “Hoje em dia a pessoa não quer ter só uma casa para viver, quer ter um complemento de viver e bem estar. O Dream Living vem ofrecer esse espaço, é um produto com muita qualidade em termos de acabamentos, de condomínio, de ‘facilities’. É realmente um produto diferenciado”, assegura.

Aposta forte na construção nova e nos portugueses

Depois de centrar atenções na reabilitação urbana, a JPS Group está agora a apostar forte na construção nova e de qualidade. “A construção nova será sempre construir novas centralidades fora do grande centro urbano”, diz o responsável. “[O objetivo é fazer com que] as pessoas sintam que viver e morar no mesmo sítio é significado de qualidade. Não é só sair do trabalho, ir para casa e dormir, é muito mais que isso. É assim que encaramos a promoção imobiliária”, acrescenta.

"Fizemos uma grande aposta de forma a oferecer produtos a preços competitivos com qualidade extrema, e neste momento temos mais de 500 frações com essas características"
João Sousa

Na mira do grupo empresarial português estão os portugueses, nomeadamente as famílias da classe média e média/alta. “Fizemos uma grande aposta de forma a oferecer produtos a preços competitivos com qualidade extrema, e neste momento temos mais de 500 frações com essas características”, diz João Sousa, salientando que um dos grandes objetivos da JPS Group é criar habitação para os portugueses: “São eles que vivem cá, que partilham tudo o que se passa em Portugal. É neles que temos de apostar, fundamentalmente é essa a nossa grande aposta”.

Mais projetos na calha

Para João Sousa, não se vive em Portugal um momento de euforia imobiliária. Vive-se, sim, um momento que o país precisava, até porque “os produtos que estavam a ser oferecidos eram obsoletos, tinham sido construídos há mais de dez anos”. “Há uma procura muito grande e a oferta é escassa. Não há euforia, há sim a realidade do mercado, e essa realidade é a lei da oferta e da procura. Neste momento, existe mais procura que oferta”, conta.

“Há zonas lindíssimas para explorar, nomeadamente a costa alentejana. Vamos apostar na costa alentejana”
João Sousa

Q que se deve fazer para tirar o máximo proveito possível deste momento?

“Acima de tudo não podemos continuar a lançar projetos imobiliários só porque é metro quadrado (m2) e é projeto imobiliário. Temos de observar as tendências que existem no mercado, as necessidades que existem e criar produtos adequados a essas necessidades”, responde o responsável.

O CEO do grupo empresarial nacional abre um pouco o véu sobre os projetos que a JPS Group tem na calha. Apesar de não entrar em pormenores, adianta que a empresa vai continuar a apostar na capital – “vamos lançar outro projeto no centro de Lisboa” –, mas também noutras zonas do país. “Há zonas lindíssimas para explorar, nomeadamente a costa alentejana. Vamos apostar na costa alentejana”, conclui.