Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Comprar casa em Lisboa já chega a custar 4.532 euros por metro quadrado

Paulo Resende/Unsplash
Paulo Resende/Unsplash
Autor: Redação

Os preços das casas em Portugal continuam a subir em flecha. No terceiro trimestre do ano passado, o preço mediano do metro quadrado (m2) das casas vendidas no país foi de 984 euros, mais 7,9% que no trimestre homólogo. Lisboa é, de resto, a campeã dos preços: é a cidade mais cara do país para comprar casa. A mediana de preços no município fixou-se nos 2.753 euros por m2, e já há cinco freguesias a superar os 3.500 euros por m2. 

Em causa estão as Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local, divulgadas esta quinta-feira (31 de janeiro de 2019) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), e que dão conta de que há 42 municípios, maioritariamente localizados no Algarve e na Área Metropolitana de Lisboa (AML), a apresentarem preços medianos de venda de casas superiores ao valor nacional.

Em Lisboa e no Porto, as subidas voltaram a ser superiores a 20%. O preço do m2 na capital, por exemplo, registou uma subida de 24,3% e já chega aos 2.877 euros. No Porto, por sua vez, os preços subiram 22%, para os 1.525 euros por m2. Lisboa vai na frente, mas há outros municípios a seguir-lhe as “pisadas". Entre as autarquias mais caras para comprar casa destacam-se ainda Cascais, Oeiras, Loulé, Lagos, Albufeira ou Tavira, todas com preços que superam os 1.600 euros por m2.

Cinco freguesias de Lisboa com valores acima de 3.500 por m2

Os preços na capital somam e seguem. Em outubro de 2018 eram três as freguesias que superavam os 3.500 euros por m2, sendo que agora mais duas juntaram-se à lista. Santo António, Misericórdia, Santa Maria Maior, Avenidas Novas e Estrela são as freguesias mais caras do país para comprar casa.

A freguesia de Santo António manteve, à semelhança do segundo trimestre de 2018, o preço mediano mais elevado. Comprar casa nesta zona, que inclui a Avenida da Liberdade e áreas adjacentes, já custa 4.532 euros por m2.

Do outro lado da barricada estão as freguesias de Santa Clara, Areeiro, São Domingos de Benfica, Carnide e Lumiar, onde os preços medianos e taxas de variação são inferiores aos do resto da cidade. Os preços só caíram na freguesia do Parque das Nações.

No Porto, a União de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, a União de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde e a União de freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos destacaram-se entre as sete freguesias da Invicta, por apresentarem um preço mediano de alojamentos vendidos acima do valor da cidade.