Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Rendas subiram 9,3% num ano e há menos pessoas a arrendar casa

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Arrendar casa em Portugal custou 4,80 euros por metro quadrado (m2) em 2018, mais 9,3% que no ano anterior (4,49 euros por m2). O valor mediano das rendas disparou em todo o país, sendo Lisboa o município mais caro (11,16 euros por m2). Não é de estranhar, por isso, que se tenham celebrado menos contratos de arrendamento no ano passado face ao período homólogo: recuaram de 84.383 para 77.723.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), houve 33 municípios, localizados maioritariamente na Área Metropolitana de Lisboa (AML) e no Algarve, que apresentaram um valor mediano das rendas superior ao referencial nacional. 

“O município de Lisboa apresentou o valor da renda mais elevado do país (11,16 euros por m2), e com valores iguais ou superiores a 7 euros por m2 destacavam-se também Cascais (9,71 euros por m2), Oeiras (9,38 euros por m2), Porto (7,85 euros por m2), Amadora (7,19 euros por m2) e Almada (7 euros por m2)”, conclui o INE.

No caso concreto de Lisboa, três das 24 freguesias de Lisboa registaram valores medianos superiores a 13 euros por m2: Santo António (14,10 euros por m2), Misericórdia (13,38 euros por m2) e Parque das Nações (13,12 euros por m2). “A freguesia de Santo António destacou-se por registar, simultaneamente, a maior taxa de variação homóloga (+27,3%) e o valor de rendas em novos contratos mais elevado entre as freguesias do município de Lisboa”, conclui o INE.

Novos contratos de arrendamento (2017 vs 2018)

Ano Portugal AML AMP Algarve
2017 84.383 28.305 14.453 4.633
2018 77.723 25.916 13.532 4.551

No que diz respeito ao número de contratos de arrendamento, a AML concentrou cerca de um terço dos mesmos (25.916 num total de 77.723). Os novos contratos na AML e na AMP representaram, em conjunto, cerca de 51% do número total de novos contratos do país e o Algarve 5,7%. 

De acordo com o INE, o Baixo Alentejo apresentou o menor número de novos contratos de arrendamento (399). Em sentido contrário encontra-se o município de Lisboa, onde foram celebrados 6.643 novos contratos, ainda assim menos 4,8% que no período homólogo. Só em Arroios foram celebrados 619 contratos de arrendamento.