Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“Ainda vamos assistir a um crescimento e a uma corrida ao imobiliário português”

Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL
Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL

O Salão Imobiliário de Portugal (SIL) volta a ser a grande montra do imobiliário”. A garantia é dada por Sandra Fragoso, gestora da maior e mais importante feira imobiliária do país – a 22ª edição realiza-se no Parque das Nações, em Lisboa, de 10 a 13 de outubro de 2019 –, em entrevista ao idealista/news. 

Segundo a responsável, quem visitar a FIL terá a oportunidade de conhecer em primeira mão “vários lançamentos de empreendimentos para a classe média e de construção nova”, o que mostra “que o mercado está a acompanhar a procura”.

Sobre o atual momento do setor a nível nacional, Sandra Fragoso diz estar muito otimista, antevendo que ainda “se vai assistir a um crescimento e a uma corrida ao imobiliário português”. “(...) A entrada de investidores é diversificada (...). A tendência agora é a procura por ativos em Portugal, por parte de fundos, grandes promotores e investidores. O interesse de grandes grupos internacionais mantém-se e cresce, sobretudo norte-americanos, espanhóis, belgas e alemães”, conta.

Podemos afirmar que o SIL 2019 tem tudo para ficar na história? Porquê?

Podemos afirmar que ficará na história dos últimos anos, sobretudo depois da época de crise que o país e o setor viveram. Vamos ter dois pavilhões cheios e uma grande adesão de novas empresas. Estão de regresso os lançamentos de novos projetos imobiliários, o retomar de outros que estiveram parados, o que demonstra que o SIL voltou a ser a grande montra do imobiliário em Portugal.

Serão cerca de 380 expositores, mais 20% que na edição do ano passado. Esperava uma adesão tão grande? 

Correto, temos já 380 expositores e um crescimento de mais de 20% face à edição anterior. Naturalmente, com um mercado dinâmico como está o português, com o aparecimento de novas empresas, novos projetos, esperávamos também uma boa adesão das empresas, e foi de facto o que aconteceu.

Qual é o perfil dos expositores e dos visitantes?

O SIL é uma feira transversal a todos os segmentos do setor, desde a promoção, mediação, banca, serviços, municípios e entidades públicas. Não esquecendo as empresas de reabilitação, arquitetura, engenharia, construção sustentável, eficiência energética, de construção e obras públicas, comércio, retalho, escritórios, turismo e serviços.

Quanto aos visitantes, nos primeiros dois dias são esperados profissionais do setor: nacionais e (também) uma grande afluência de ‘players’ internacionais. No fim de semana, espera-se uma boa adesão do público em geral que procura a primeira ou uma nova casa, o crédito à habitação, o aconselhamento jurídico e até a escolha da decoração – na Intercasa, que se encontra a decorrer em simultâneo com o SIL.

"O SIL é de facto o maior e mais importante salão do imobiliário português, e o nosso objetivo é que seja líder na Península Ibérica"
Sandra Fragoso, gestora do SIL

O SIL é um evento que entrou definitivamente na agenda do setor imobiliário, ganhando influência e importância ano após ano. Concorda com esta afirmação?

O SIL é de facto o maior e mais importante salão do imobiliário português, e o nosso objetivo é que seja líder na Península Ibérica. Já vai na 22ª edição e sempre foi o ponto de encontro do setor, mesmo nos momentos mais difíceis do imobiliário. Perante as dificuldades que se viveram nas crises, ele manteve-se de ‘pé’ e fiel ao setor. Nos últimos anos cresceu e acompanhou o despertar do mercado, por isso, vai e irá continuar na agenda de todos os que investem e trabalham no setor.

O que esperar da edição deste ano? Que novidades haverá?

Na edição deste ano vamos apresentar várias novidades. Destacaria a primeira edição do primeira edição do SIL VILLAGE, um espaço premium, reservado para network, um espaço onde negócios podem ser realizados, em ambiente informal, que funcionará durante a hora de almoço.

Outros momentos importantes são as duas grandes conferências organizadas pelo SIL.  No dia 10 de outubro, a manhã será dedicada ao SIL INVESTMENTPRO powered by APPII, com o tema ‘Mercado Imobiliário no Contexto Económico Internacional – Os maiores desafios para os Investidores Internacionais – Novas formas de Turismo’. 

No segundo dia da feira, outro grande tema é colocado em discussão:  Brexit: que impacto no Turismo Residencial? 

Outra novidade que gostaria de realçar é a primeira tertúlia organizada com o tema ‘Imobiliário no Feminino’. Pretendemos ouvir as mulheres que há muitos anos trabalham neste setor que é maioritariamente masculino. A conferência decorre no dia 11 de Outubro às 16h30 Auditório SIL What’s New (Pavilhão 3).

Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL
Sandra Fragoso, gestora do SIL / SIL

A mediação e a promoção imobiliária estarão em evidência no SIL 2019. O maior destaque vai para a promoção, que aproveitará a ocasião para lançar e/ou dar a conhecer os seus novos projetos. Que tipo de projetos são esses? 

A mediação e a promoção são realmente os segmentos com mais empresas representadas no SIL 2019. O número de empresas de mediação presentes na feira aumentou 7,6% em relação à edição anterior e a promoção cresceu  72,12%.  De facto, o número previsto de lançamentos de novos projetos imobiliários subiu exponencialmente este ano. Vamos assistir à apresentação de empreendimentos residenciais de luxo, para a classe média e média/alta e turísticos. Seja por parte de promotores portugueses como de estrangeiros. Por isso temos ativos imobiliários para todos os tipos de compradores/investidores.

Numa altura em que a construção nova parece estar a ganhar força em Portugal é de esperar que haja muitas novidades neste segmento, nomeadamente de oferta para a classe média?

Sim, vão acontecer vários lançamentos de empreendimentos para a classe média e de construção nova, que tão necessários são. O que representa bem que o mercado está a acompanhar a procura.

"A tendência agora é a procura por ativos em Portugal, por parte de fundos, grandes promotores e investidores. O interesse de grandes grupos internacionais mantém-se e cresce, sobretudo norte-americanos, espanhóis, belgas e alemães"
Sandra Fragoso, gestora do SIL

E a reabilitação urbana continuará a ter “muito peso” na edição deste ano? Faz sentido que assim seja?

Claro, além dos projetos de construção nova, continuam a existir muitos empreendimentos provenientes de reabilitação. A cidade convidada do SIL 2019 é Caldas da Rainha e a Câmara Municipal vai trazer ao evento os projetos e os programas que estão em desenvolvimento no município, nomeadamente na reabilitação urbana.

Que mensagem considera importante deixar a quem nunca visitou o SIL?

Para quem nunca visitou o SIL e procure uma casa, este pode ser o local ideal não só pela oferta diversificada exposta e que muitas pode estar com preços mais acessíveis, bem como pelos serviços disponíveis, nomeadamente questões ligadas ao financiamento e serviços. Temos várias instituições bancárias presentes na feira que estão preparadas para ajudar e apoiar. Não esquecendo ainda as empresas na área da arquitetura, engenharia, construção sustentável, eficiência energética, de construção e obras públicas, comércio, retalho, escritórios e turismo, que podem ajudar quem pretende realizar projectos de pequena e grande dimensão.

Para os profissionais, este é o local indicado para networking já que concentram nestes dias os principais ‘players’ do mercado e no SIL podem concretizar negócios.

Fale-nos um pouco sobre a situação do setor imobiliário em Portugal: o país está cada mais atrativo para os investidores nacionais e estrangeiros? 

Acredito que ainda vamos assistir a um crescimento e a uma corrida ao imobiliário português. Não podemos esquecer que o investimento estrangeiro continua em alta. Neste momento, apesar de se registar algum abrandamento na atribuição dos vistos gold, a entrada de investidores é diversificada. Os franceses, chineses, ou brasileiros são em grande maioria para investimento particular. A tendência agora é a procura por ativos em Portugal, por parte de fundos, grandes promotores e investidores. O interesse de grandes grupos internacionais mantém-se e cresce, sobretudo norte-americanos, espanhóis, belgas e alemães.