Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Desafio - Real Estate Talks: o presente e futuro do imobiliário em debate a partir de 18 de junho

Os mentores do “Desafio”, Gonçalo Nascimento Rodrigues e Massimo Forte, lançaram um novo projeto online para analisar e debater as tendências de mercado no pós-Covid.

Massimo Forte (à esquerda) e Gonçalo Nascimento Rodrigues (à direita) / Desafio - Real Estate Talks
Massimo Forte (à esquerda) e Gonçalo Nascimento Rodrigues (à direita) / Desafio - Real Estate Talks
Autor: Redação

Os mentores do “Desafio”, Gonçalo Nascimento Rodrigues e Massimo Forte, acabam de lançar um novo projeto digital: uma comunidade para falar sobre pessoas, tendências e desafios da mediação e investimento imobiliário. O Desafio – Real Estate Talks vai estrear-se a 18 de junho de 2020 e produzir, ao longo de seis meses, webinares e conteúdos premium sobre diferentes temáticas, garantindo o acesso a uma rede de networking exclusiva de profissionais de topo dedicados ao mercado. O evento conta, mais uma vez, com o apoio exclusivo do idealista.

Quem decidir juntar-se a este novo desafio vai ter acesso a todos os eventos e conteúdos de forma ilimitada durante seis meses, a partir de 18 de junho de 2020. Serão, no total, 12 webinares via zoom, sobre 12 temas diferentes, que irão realizar-se quinzenalmente e durante 1h30 (à exceção do mês de agosto). Os participantes terão igualmente acesso a variados conteúdos exclusivos: artigos de opinião, artigos por especialidade, análise de dados de mercado, estatísticas e toda a informação relevante para estar a par das mais recentes tendências e visões sobre o mercado imobiliário.

Será ainda uma oportunidade para aceder a uma rede de networking dentro de uma comunidade exclusiva: especialistas em mediação, finanças imobiliárias, investidores, top producers, brokers, agentes ou simplesmente a pessoas dedicadas ao mercado imobiliário que querem elevar o seu negócio, tal como explicam os seus criadores, na página dedicada ao evento, e na qual poderão ser consultados todos os detalhes das inscrições. 

Para perceber melhor as origens deste projeto e quais os seus objetivos, e ainda que análise fazem da situação atual de mercado, o idealista/news decidiu lançou o desafio aos mentores: responderem a este fast-check de perguntas e respostas. Eis o que defendem e Gonçalo Nascimento Rodrigues (GR) e Massimo Forte (MF).

No final do último “Desafio” deixaram a porta-aberta a outros e novos desafios/ formatos. Como é que surgiu esta ideia? De criar um modelo de Talks?

GR: A ideia surgiu de uma maior necessidade de apoiar diretamente alguns players de mercado e de procurar uma maior proximidade junto dos mesmos. Em conversa entre ambos e com alguns participantes da Temporada 1 do Desafio, vimos que as pessoas queriam manter um formato de contacto digital mais permanente. Foi isso que procuramos fazer com este plano de subscrição: garantir uma ligação mais permanente e presente junto das pessoas.

MF: A ideia, como quase sempre connosco, surge porque temos a boa "mania" de ouvirmos as pessoas, ou seja os participantes das ultimas últimas edições. Para nós o feedback é tudo, e o que ficou da última edição do Desafio online foi uma grande vontade de participação, debate, perguntas entre todos, algo que claramente despertou em nós a vontade de criar uma comunidade.

Serão 12 webinares sobre 12 temas diferentes. Quais as temáticas que vão abordar? Já têm o programa fechado?

GR: Este plano de subscrição vai muito mais além dos 12 webinares. Haverá ligações online com temas pré-estabelecidos que poderão realmente proporcionar a presença de convidados, sempre adequados a cada tema. Mas os participantes terão ao longo do plano de subscrição acesso a outros conteúdos exclusivos.

MF: As temáticas não estão fechadas porque o mercado é dinâmico e como sempre queremos estar em cima do acontecimento, trazendo conteúdo relevante e mais do que nunca atual, por isso temos uma ideia em relação à primeira sessão, mas as outras serão pensadas on time.

Relativamente aos conteúdos exclusivos, desde artigos de opinião, dados de mercados, estatísticas que referem.... quais são as fontes e autores? Os participantes terão acessos aos mesmos de que forma?

GR: Estes conteúdos serão sempre escritos. O acesso será sempre via os nossos websites e cada participante terá acesso aos mesmos através da introdução de uma password. Terão acesso a research especializado, artigos de opinião e alguns estudos de mercado. Com enfoque no mercado nacional mas também com análises nossas sobre mercados internacionais. E claro, com o apoio do idealista e os seus insights também muito importantes e relevante.

MF: O apoio a parceira do idealista que já vem sendo hábito em todas as edições será muito importante em relação aos dados do mercado. Os restantes conteúdos será da nossa inteira responsabilidade, e os participantes terão acesso ao conteúdos através de códigos que serão enviados de forma exclusiva para cada um.

Quem decida juntar-se a esta ‘comunidade exclusiva’ terá acesso a uma rede de networking especializada. De que forma será feito esse networking?

GR: O networking é possível fazê-lo via webinares. Mas ao criarmos esta comunidade mais exclusiva, isso pemitirá aos participantes interagirem uns com os outros e também falarem diretamente connosco. Este plano permite uma abordagem mais one-to-one, procurando auxiliá-los em questões e problemas específicos da sua atividade. Procuraremos reservar um dia por mês para que cada participante, de forma individual, e por um determinado preço, ligar-se directamente a cada um de nós para poder interagir de forma individual e procurar ajuda em qualquer tema relacionado com investimentos e mediação imobiliária.

MF: As sessões serão os locais ideias para fomentar o debate e as opiniões. Os nossos contactos estarão como sempre disponíveis para eventuais questões, o sucesso da comunidade será a vontade que as pessoas terão de comunicar em conjunto.

A 1 de junho arrancou a fase 3 do plano de desconfinamento do Governo. Que ponto de situação fazem, até ao momento? Qual a vossa perceção de mercado? Onde está agora a força do mercado e as maiores debilidades?

GR: Estamos a fechar a análise de um novo inquérito que fizemos ao mercado. Conseguimos perceber que a atividade está a procurar voltar a um novo normal, que vendedores e compradores estão a voltar ao mercado e as transações recomeçam. Gradual, é certo. Com ajuste de preços em alguns casos.

MF: Na minha opinião a mediação Imobiliária de forma geral tem reagido muito bem, adaptando-se claramente às novas circunstâncias de segurança desta nova realidade. O mercado também teve uma reação muito positiva, principalmente do lado da procura que é de facto um ponto essencial, contudo teremos de esperar mais algum tempo para verificar a eventual tendência. A força do mercado estará na possibilidade de ajudar, nestas novas condições, quem necessita e quer comprar ou vender um imóvel, as maiores debilidades será a questão da normalização da economia e a reação da banca no que diz respeito ao crédito para aquisição de imóveis. 

Contactam de perto com os agentes que estão no terreno. Que feedback têm tido desde que o setor voltou a estar de portas abertas, em termos de operações realizadas, volumes de investimento e outros indicadores?

GR: Como respondi na pregunta anterior, há agentes a fechar negócios, há muitos a fazer novas angariações. Alguns proprietários aceitam já ajustar o asking price em baixa e os compradores estão gradualmente a voltar ao mercado.

MF: Um feedback na generalidade positivo, de forte adaptação às novas tecnologias, e com muito trabalho, principalmente dos profissionais que nunca deixaram de trabalhar os seus clientes e potenciais clientes e principalmente os que tinham método e forma de trabalhar. O mercado está diferente, está a reajustar, será necessário saber trabalhar nesta nova realidade, contudo, precisamos de mais tempo. 

As dúvidas mais prementes continuam a focar-se nos preços?

GR:  É verdade. As pessoas tendem a focar-se muito nos preços. No último epísódio da Temporada 1 do Desafio falamos sobre isso e sobre o provável ajustamento de mercado (que na realidade já se estava a verificar). Mas o mercado continua. Para um agente imobiliário, o preço é apenas uma variável e ele terá de conhecer muito bem o mercado para melhor aconselhar os seus clientes. Mesmo que os preços desçam, se a angariação for feita “a preço”, a transação realizar-se-à e o negócio será fechado. No fundo, aquilo que todos procuram – compradores, vendedores e agentes imobiliários.

MF: Não só nos preços, infelizmente muito alvo de especulações infundadas, mas também do tempo de venda, e nos tipos de produtos disponíveis para serem transacionados.