Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reequipar e redecorar a casa em tempos de pandemia? Está nos planos de muitos portugueses

Inquérito Observador Cetelem Habitação conclui ainda que 2% dos inquiridos tem planos para mudar de casa ainda este ano.

Rune Enstad on Unsplash
Rune Enstad on Unsplash
Autor: Redação

Muitos portugueses foram “obrigados” a passar mais tempo em casa nos últimos meses, devido à pandemia da Covid-19, e aproveitaram para fazer pequenas obras no imóvel. Reequipar a habitação também entra nos planos de 13% dos portugueses, segundo um inquérito realizado pelo Observador Cetelem. O mesmo conclui que 2% dos inquiridos tem planos para mudar de casa até final do ano.

No que diz respeito a investimentos na habitação, 13% pretendem equipar/reequipar a casa, sendo o principal foco a cozinha (44%), a sala (33%) ou os quartos (14%). Redecorar e remobilar estes mesmos espaços também está nos planos de 3% dos inquiridos, sendo que a sala (52%), a cozinha (30%) e os quartos (27%) lideram as escolhas.

“Para fazer obras (2%) as divisões que vão merecer mais atenção são a cozinha (55%), os quartos e a casa de banho (18% cada)”, lê-se no comunicado de imprensa enviado às redações.

Os dados do Observador Cetelem Habitação permitem ainda concluir que apesar dos portugueses estarem a fazer mais compras online ainda existe uma preferência pela compra de mobiliário em lojas físicas (100%). “No entanto, na compra de equipamentos, como pequenos/grandes eletrodomésticos e equipamentos de imagem e som (TV, etc.), o online já é opção para cerca de 15% dos portugueses. Um valor superior no caso dos acessórios de decoração, com 1/3 a escolher canais online para adquirir este tipo de produtos”, revela o estudo.

No que diz respeito às intenções de gastos, os grandes eletrodomésticos são uma das categorias onde os portugueses tencionam gastar mais (357,65 euros). Já em pequenos eletrodomésticos planeiam investir, em média, 74,86 euros.

“Em comparação com os dados recolhidos em junho, podemos verificar sinais de retoma nas intenções de consumo dos pequenos eletrodomésticos, com mais 2%, mas uma descida nos eletrodomésticos de imagem e som (-1%), obras/remodelações (-4%) e móveis e decoração (-5”)”, conclui o Observador Cetelem Habitação.

De referir ainda que, segundo o estudo – foram inquiridas 1.000 pessoas residentes em Portugal Continental, de ambos os sexos, com idades entre os 18 e os 74 anos de idade –, 72% das pessoas reside em apartamentos, 15% numa moradia com espaço exterior e 12% numa moradia sem espaço exterior. Destes, 70% vive em casa própria e 27% em casa arrendada.