Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Avaliação bancária das casas sobe em outubro para novo recorde de 1.131 euros/m2

Depois de uma travagem, os bancos voltaram a subir o valor mediano com que estão a avaliar os imóveis para efeitos de concessão de crédito.

Imagen de Alexander Stein en Pixabay
Imagen de Alexander Stein en Pixabay
Autor: Lusa

O valor mediano de avaliação bancária subiu três euros em outubro face ao mês anterior, para 1.131 euros por metro quadrado (m2), ultrapassando o recorde que tinha atingido em agosto. Segundo o Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação, produzido pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em termos homólogos, a taxa de variação manteve-se em 5,8%, tal como verificado em setembro.

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, em termos regionaisa variação mais intensa registou-se no Algarve (7,5%) e a menor no Alentejo (2,4%), sinaliza o INE.

Já face ao mês anterior o maior aumento registou-se na Região Autónoma da Madeira (2,4%) e a única redução foi observada no Centro (-0,2%).

Para o apuramento do valor mediano de avaliação bancária de outubro, foram consideradas 24.642 avaliações bancárias, mais 2,9% que no mesmo período do ano anterior.

Destas, acrescenta o INE, 15.610 foram de apartamentos e 9.032 de moradias.

Em comparação com o mês de setembro foram consideradas mais 931 avaliações bancárias, o que corresponde a um aumento de 3,9%, sinaliza o INE.

No mês anterior a avaliação bancária ficou estagnada, fixando-se nos 1.128 euros por metro quadrado, tal como em agosto. Antes disso, tinha estado cinco meses consecutivos a subir. A última vez que este indicador cedeu terreno foi em março, no primeiro mês da pandemia no país, tendo o valor decrescido um euro face a fevereiro.