Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“Estamos aptos para qualquer desafio, seja uma moradia, escritório ou hotel”

Inês Gavinho, diretora criativa da Gavinho Architecture & Interiors, fala ao idealista/news sobre os projetos e as ambições do grupo Gavinho.

Inês Gavinho, num loft na Graça, um projecto com obra e promoção imobiliária da Gavinho Associados. À direita, o projeto Legacy / Grupo Gavinho
Inês Gavinho, num loft na Graça, um projecto com obra e promoção imobiliária da Gavinho Associados. À direita, o projeto Legacy / Grupo Gavinho

Design de interiores, decoração, arquitetura, construção, reabilitação e promoção imobiliária. A atividade do grupo Gavinho é extensa, e “ganhou asas” com o passar dos anos. “O grupo é composto por duas empresas com atividades complementares”, a Gavinho Architecture & Interiors e a Gavinho Associados, começa por explicar ao idealista/news Inês Gavinho. Segundo a arquiteta e diretora criativa da Gavinho Architecture & Interiors, “a experiência com projetos de várias escalas em Portugal e no estrangeiro faz com que” o grupo esteja apto “para qualquer desafio, seja uma moradia, escritório ou hotel”. 

Foi há já três décadas que nasceu o atelier Gavinho Architecture & Interiors, pela mão de Maria Gavinho. Inês, a filha, seguiu as pegadas da mãe e entrou, também, no “universo” Gavinho. Estávamos em 2010. Agora, 11 anos depois, a empresa cresceu e tem vários “braços”. 

Vamos no nosso projeto 382, sendo que temos no momento 20 projetos em curso e com perspetiva para aumentar para os 25 muito em breve, através de negociações que temos em curso com alguns clientes”, revela Inês Gavinho.

Um dos projetos mais emblemáticos com a insígnia do atelier Gavinho Architecture & Interiors é o Legacy, que resulta da transformação do icónico Hotel Cidadela, em Cascais. São 10 moradias e 28 apartamentos, e o empreendimento deverá estar concluído em 2022, adianta Inês Gavinho: “Em todas as unidades a atenção ao detalhe é o elemento em comum, refletido através de pormenores como portas feitas por medida, casas de banho revestidas a pedra natural e amplas janelas que trazem a vivacidade do exterior para dentro”. 

E que novos projetos tem o grupo Gavinho na calha, mesmo em tempos de pandemia da Covid-19? “Vamos lançar em breve um projeto no coração do Estoril. Trata-se de um projeto exclusivo de moradias de assinatura que será promovido e construído pela Gavinho Associados e a arquitetura e interiores assinados pela Gavinho”, conta a responsável.

Penthouse em Cascais / Grupo Gavinho
Penthouse em Cascais / Grupo Gavinho

O atelier Gavinho Architecture & Interiors foi fundado em 1990 pela sua mãe, Maria Gavinho, tendo a Inês entrado para o atelier em 2010. Fale-nos um pouco sobre “esse processo” e sobre a atividade do grupo Gavinho ao longo dos anos.

O atelier foi fundado há cerca de 30 anos pela minha mãe, e até ao início da minha entrada na empresa dedicou-se essencialmente ao design de interiores, decoração e exposições de arte. Após 2008 iniciámos uma nova fase, com a introdução da oferta de serviços de arquitetura. Essa componente veio trazer uma grande mais-valia na oferta de novos serviços aos clientes, ao podermos criar todas as vertentes de um projeto.

A abertura, em 2014, do nosso atelier em Lisboa, foi mais um passo importante para a expansão da Gavinho Architecture & Interiors, passando a oferecer os nossos serviços, o nosso trabalho e dedicação a uma maior franja do mercado nacional e a um crescente número de clientes estrangeiros. 

Nessa altura também tomámos outra decisão importante para o grupo, com a criação da Gavinho Associados, uma empresa dedicada à construção, reabilitação urbana e promoção imobiliária, possibilitando aos clientes o acesso a um serviço integrado com melhor resultado final, nas vertentes da arquitetura, construção e interiores.

O grupo Gavinho tem, então, duas vertentes: a de arquitetura e interiores, através da Gavinho Architecture & Interiors, e a de construção e promoção imobiliária, através da Gavinho Associados. Em que consiste cada uma?

O grupo Gavinho é composto por duas empresas com atividades complementares. Na Gavinho Architecture & Interiors desenvolvemos toda a componente criativa, da arquitetura ao paisagismo, dos interiores à consultoria de arte. Temos desenvolvido projetos residenciais para o segmento médio/alto e alto do mercado, desde apartamentos, moradias e condomínios.

Por sua vez, a Gavinho Associados tem vindo a autonomizar cada vez mais a sua presença no mercado da construção, reabilitação urbana e promoção imobiliária, com todas as competências em termos de engenharia, gestão de projeto, construção civil e reabilitação. Através da Associados temos vindo a materializar projetos para terceiros, mas também a adquirir imóveis para reabilitação e posterior promoção e comercialização no mercado.

(...) A experiência com projetos de várias escalas em Portugal e no estrangeiro faz com que estejamos aptos para qualquer desafio, seja uma moradia, escritório ou hotel"

Podemos afirmar que se trata de uma empresa que oferece serviços muito variados aos clientes? Essa será uma das “mais-valias” da empresa face à concorrência? 

Sem dúvida, a experiência acumulada ao longo de mais de 30 anos e a capacidade de desenvolver um projeto em todas as suas fases e vertentes faz com que o grupo Gavinho seja reconhecido pelo sentido de exigência no planeamento, desenvolvimento criativo e execução do mesmo.

Além disso, a experiência com projetos de várias escalas em Portugal e no estrangeiro faz com que estejamos aptos para qualquer desafio, seja uma moradia, escritório ou hotel.

Interior do Estoril Villa / Grupo Gavinho
Interior do Estoril Villa / Grupo Gavinho

São vários os projetos que têm a assinatura do atelier Gavinho Architecture & Interiors, que é especializado no segmento de luxo para residências privadas, empreendimentos e ambientes empresariais. Destaca alguns em particular?

Ao nível residencial estamos a desenvolver vários projetos bastante aliciantes, como a construção de raiz de uma moradia na Herdade da Aroeira ou de uma villa na Argélia. Estamos também a desenvolver os interiores de uma penthouse junto à Avenida da Liberdade e outra no Príncipe Real [ambas em Lisboa].

No campo da reabilitação, temos em desenvolvimento o projeto de uma penthouse na Avenida da Liberdade e de uma moradia na Quinta Patino, entre muitos outros. Além disso, também estamos a acompanhar a materialização do condomínio Legacy, em Cascais, para o qual desenvolvemos toda a arquitetura de interiores.

Quantos projetos desta natureza já desenvolveu o atelier até agora e quantos tem em andamento?

Vamos no nosso projeto 382, sendo que temos no momento 20 projetos em curso e com perspetiva para aumentar para os 25 muito em breve, através de negociações que temos em curso com alguns clientes.

"Vamos no nosso projeto 382, sendo que temos no momento 20 projetos em curso e com perspetiva para aumentar para os 25 muito em breve, através de negociações que temos em curso com alguns clientes"

O atelier é responsável, por exemplo, pela arquitetura de interiores da área residencial do Legacy, projeto que resulta da transformação do icónico Hotel Cidadela, em Cascais. Fale-nos um pouco sobre esta intervenção...

Quando o promotor imobiliário Reformosa adquiriu o histórico hotel a ideia foi a de criar um espaço residencial único em Cascais e elevar o luxo a um novo patamar, através da sua arquitetura contemporânea, interiores únicos e serviço concierge. 

A Gavinho Architecture & Interiors assinou a arquitetura de interiores e o design de interiores deste projeto. Nas 10 townhouses, moradias geminadas T3+1 com mais de 230 metros quadrados (m2) de área, a atenção da nossa equipa foi para o pé-direito elevado, para as amplas zonas sociais e para a relação entre o interior e o exterior, onde se pode encontrar um jardim e piscina privada. Nos 28 apartamentos do edifício Residences, que se desenvolve de frente para o mar, e na parte posterior para a alameda que serve as townhouses, a intenção foi tirar o máximo partido das espaçosas varandas e da vista panorâmica sobre o mar e a baía de Cascais. 

Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho
Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho
Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho
Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho

Em todas as unidades, a atenção ao detalhe é o elemento em comum, refletido através de pormenores como portas feitas por medida, casas de banho revestidas a pedra natural e amplas janelas que trazem a vivacidade do exterior para dentro.

A conclusão do Legacy está prevista para 2022. Estamos ansiosos para ver os espaços ainda em construção para no final serem vividos e usufruídos pelos seus proprietários.

Relativamente aos projetos da Gavinho Associados, neste caso de promoção imobiliária e construção e reabilitação, quais destacaria? Estamos a falar de quantos projetos ao todo? 

Acabámos recentemente a reabilitação integral de um duplex na Graça e de um outro apartamento nos Prazeres, em Lisboa. Estamos também em fase de obra em vários outros projetos de reabilitação ou construção de moradias e apartamentos em Lisboa, Cascais, Aveiro e no mercado internacional.

Destaco ainda a obra de um edifício na Graça adquirido por nós e que estamos a construir para promoção imobiliária.

Nestes casos como funciona? A Gavinho Associados é contratada diretamente para promover determinado imóvel, encarregando-se, se for caso disso, das respetivas obras de construção e/ou reabilitação e entregando um produto chave na mão?

A Gavinho Associados tem duas vertentes distintas. A da construção civil, em que desenvolve um produto chave na mão, podendo o projeto ser de assinatura da Gavinho Architecture & Interiors ou de outro gabinete de arquitetura. E a da promoção imobiliária, em que somos nós os promotores do projeto, significando que somos donos do mesmo, e todo o investimento é nosso. Naturalmente os nossos projetos de promoção são integralmente assinados pela Gavinho Architecture & Interiors.

Na área da promoção imobiliária, vamos também lançar um projeto inovador para os nossos clientes na área residencial, em que iremos promover as suas próprias casas, através da gestão de todo o processo incluindo a seleção e compra do terreno.

Esse serviço especializado inclui tudo o que é necessário para materializar uma casa que exceda as expectativas do cliente. Desde o conceito inicial, escolha de localização, gestão de relacionamento com as entidades, gestão de processo bancário, projeto de arquitetura e especialidades, construção e design de interiores e decoração, tudo isto contratualizado de forma global em que o cliente sabe exatamente quanto vai gastar e o que está a comprar.

Todo o processo é otimizado com um único interlocutor e traduz-se numa redução do custo e numa melhoria significativa na qualidade do produto final.

Apartamento nos Prazeres, em Lisboa / Grupo Gavinho
Apartamento nos Prazeres, em Lisboa / Grupo Gavinho

Há alguma novidade sobre um projeto recente ou na calha que terá a “marca” do grupo Gavinho, numa das suas duas vertentes?

Vamos lançar em breve um projeto no coração do Estoril com a assinatura do grupo Gavinho. Trata-se de um projeto exclusivo de moradias de assinatura que será promovido e construído pela Gavinho Associados e a arquitetura e interiores assinados pela Gavinho.

"Vamos lançar em breve um projeto no coração do Estoril com a assinatura do grupo Gavinho. Trata-se de um projeto exclusivo de moradias de assinatura que será promovido e construído pela Gavinho Associados e a arquitetura e interiores assinados pela Gavinho"

Em termos de volume de negócios, como foi o ano de 2020, quando comparado com o de 2019? Sentiram de alguma forma “danos colaterais” causados pela pandemia da Covid-19

Em 2020 todos nós fomos afetados de forma direta ou indireta. Não sentimos de forma nenhuma uma redução no volume de trabalho nem no volume de negócios, que até cresceu cerca de 20%, mas sentimos que o processo de decisão se tornou mais lento. Principalmente durante os meses de ‘lockdown’ as pessoas fizeram uma espécie de ‘on hold’ das suas intenções.

Vejo isso como algo natural por toda a situação que vivemos, mas temos já dados concretos que nos permitem afirmar com alguma segurança que o mercado vai crescer no nosso segmento.

E o ano de 2021 como arrancou? Quais as expetativas do grupo Gavinho para este ano?

O ano de 2021 continuou o percurso que temos vindo a consolidar nos últimos anos. Temos tido constantes novas abordagens para desenvolvimento de projetos e construção civil e o crescimento do volume de negócios nos primeiros quatro meses do ano foi substancial, cerca de 50% em relação ao período homologo.

A estimativa para este ano é de um crescimento do volume de negócios em cerca de 100% nos projetos chave na mão e consolidarmos o nosso posicionamento na promoção imobiliária.

Há pontos positivos a retirar da pandemia nos setores onde o grupo Gavinho atua? 

Apesar de algumas dificuldades que se fazem sentir, mais na parte logística e de gestão das obras, existe uma consolidação dos projetos ‘prime’, algo que acontece quando nos deparamos com uma crise. Nesse sentido, o grupo Gavinho está bem colocado para reagir pela sua versatilidade e posicionamento num segmento de mercado mais elevado e amadurecido, que aprecia a qualidade em detrimento de abordagens mais efémeras. Agora mais que nunca, os clientes nacionais e internacionais sabem o querem e procuram imóveis com um grau de qualidade de construção e acabamentos superior, algo que conseguimos alcançar devido à vasta experiência nesta área.

"(...) Temos tido constantes novas abordagens para desenvolvimento de projetos e construção civil e o crescimento do volume de negócios nos primeiros quatro meses do ano foi substancial, cerca de 50% em relação ao período homologo. A estimativa para este ano é de um crescimento do volume de negócios em cerca de 100% nos projetos chave na mão e consolidarmos o nosso posicionamento na promoção imobiliária"

Os nossos clientes são maioritariamente internacionais já há vários anos, são habitualmente clientes bem informados e percebem as vantagens que representa trabalhar com uma empresa com as nossas competências, a nossa experiência e o nosso posicionamento.

Confirma que o segmento de luxo não “sentiu na pele” os efeitos da pandemia? Porquê?

Pela nossa experiência e pelos números divulgados recentemente, a procura neste segmento não baixou, mostrando sinais de crescimento. O segmento ‘prime’ tem tendência a ficar mais imune à volatilidade do mercado, mostrando que os investidores continuam a acreditar em Portugal e no seu imenso potencial.

Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho
Empreendimento Legacy, em Cascais / Grupo Gavinho