Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal tem cerca de 8.200 pessoas em situação de sem-abrigo

Mais de metade estão em Lisboa. Programa Housing First já tirou 300 pessoas da rua e quer tirar mais 1.100.

Pessoas em situação de sem-abrigo
Foto de Arian Malek khosravi no Pexels
Autor: Redação

Em Portugal, há cerca de 8.200 pessoas em situação de sem-abrigo. E mais de metade concentra-se na Área Metropolitana de Lisboa, segundo mostram os resultados de um inquerito levado a cabo pelo portal da Estratégia Nacional para a Integração de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo (ENIPSSA). O programa 'Housing First e Apartamentos Partilhados' já tirou das ruas 300 pessoas, mas ainda há muito trabalho a fazer. 

Este levantamento nacional conduzido em 2020 pela ENIPSSA revela que só na AM de Lisboa há 4.786 pessoas em situação de sem-abrigo, o que representa 58,3% do total. A seguir está a Área metropolitana do Porto (AMP) com 1.213 pessoas.

Por cem mil habitantes, a situação mais preocupante é no Alentejo, nos concelhos de Alvito e Beja que têm, respetivamente, 11,35 e 9,72 pessoas por cem mil habitantes em situação de sem-abrigo.

Note-se que este levantamento passou por um inquérito aos 278 municípios de Portugal continental e traduz as 275 respostas obtidas, através da articulação das diferentes instituições com intervenção local.

Pessoas em situação de sem-abrigo
Imagem de aga2rk por Pixabay

Quem são estas pessoas?

Da totalidade das cerca de 8.200 pessoas nesta situação, a maioria são homens na faixa etária dos 45 aos 64 anos, sem teto ou sem casa há até um ano. As principais causas estão associadas a dependência de álcool ou de substâncias psicoativas (2.442), desemprego ou precariedade no trabalho (2.347) ou insuficiência financeira associada a outros motivos (2.017).

Contabilizaram-se também 734 casais nesta situação. Na AML, a grande maioria desses casais (339 em 392) não tem casa, mas vive em centros de alojamento temporário, alojamentos específicos para pessoas sem casa ou em quartos pagos pelos serviços sociais ou por outras entidades.

No país, pouco mais de metade das pessoas em situação de sem abrigo vive nestas opções (4.789). Mas há ainda 3.420 sem teto, que vivem na rua, em abrigos de emergência ou em locais precários.

Pessoas em situação de sem-abrigo
Imagem de Leroy Skalstad por Pixabay

39% das pessoas encontraram alojamento

Houve ainda boas notícias. O relatório indica ainda que 485 pessoas deixaram a situação de sem-abrigo e obtiveram uma habitação permanente - mais 39% do que 2019.

Neste sentido tem sido levado a cabo o programa 'Housing First e de apartamentos partilhados' em todo o país tendo em vista a promoção do acesso a habitação para pessoas em situação de sem-abrigo. E já foram 300 as pessoas que ganharam uma casa no âmbito desta iniciativa, que não fica por aqui. 

Foram disponibilizadas mais de 600 vagas em setembro de 2021, que acrescem àquelas que já são atualmente disponibilizadas, lê-se na noticia publicada no portal da ENIPSSA. O objetivo do Governo para 2021 são 1.100 vagas, tal como noticiou o idealista/news em agosto.

Para resolver esta questão a nível nacional, o primeiro passo passa mesmo pela  “melhoria no processo de diagnóstico em todo o país”, que resulta num aumento do número de casos, tal como anteceu neste último levantamento relativo a 2020.

Esse trabalho “permite no curto e médio prazo a adoção de estratégias para um acompanhamento mais personalizado e próximo de cada pessoa e, em simultâneo o desenho e adoção de estratégias de prevenção”, referiu o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social em comunicado. 

“O Governo tem apostado em disponibilizar soluções de habitação para as pessoas em situação de sem-abrigo, numa abordagem que coloca a habitação em primeiro lugar para, a partir daí, trabalhar a respetiva inserção social e autonomia”, sublinha. 

Pessoas em situação de sem-abrigo
Foto de Harrison Haines no Pexels

*Com Lusa