Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O idealista no SIL 2021 com a obra “Comunidades” de Jorge Yeregui

Artista galardoado com o Prémio idealista 2021. Obra poderá ser vista até domingo no stand artístico da empresa.

Autores: Luis Manzano, @jone

O Salão Imobiliário de Portugal (2021) já abriu portas na FIL, em Lisboa. E o idealista volta a marcar presença no evento com um stand artístico. Na edição deste ano, apresenta a obra “Comunidades” do artista Jorge Yeregui, que poderá ser vista até domingo, 10 de outubro. Galardoado com o Prémio idealista 2021, o projeto do espanhol Yeregui é, na verdade, uma reflexão sobre o espaço urbano a partir das suas próprias ferramentas de design e comunicação.

“Comunidades é um trabalho em que se analisa como é que o uso do espaço público se está a transformar no uso das comunidades como ponto de encontro e convivência. Esta obra faz parte de um projeto intitulado 'Pelo direito à cidade', que se desdobra no interior do stand tentando gerar uma pequena reflexão sobre como pensamos o urbanismo a partir das suas próprias ferramentas de design e comunicação ”, explica Yeregui ao idealista/news.

Yeregui é artista visual, arquiteto e professor da Escola de Arquitetura de Málaga (Espanha). O seu trabalho investiga a construção da paisagem e a transformação do território. A relação entre a arquitetura e o meio ambiente e a influência dos mercados no crescimento urbano são alguns dos seus temas de interesse.

“Para este trabalho utilizei como referencial teórico o livro 'O direito à cidadania' de Henri Lefebvre e a partir deste texto tenho estudado e analisado diferentes ferramentas que são utilizadas para projetar cidades, comunicá-las e até promovê-las. Por exemplo, o uso de ferramentas tridimensionais, infografias, animações, todos os temas de merchandising, publicidade ... Mas há também um trabalho de campo bastante extenso de ver como é que atualmente se produz este design e comunicação do que é uma cidade”, explica o artista em entrevista.

O autor de “Comunidades” quer demonstrar com este trabalho até que ponto as ferramentas de design e comunicação estão a influenciar a conceção de espaços e cidades. “Sou professor na Escola de Arquitetura de Expressão Gráfica e penso que, muitas vezes, as ferramentas que ensinamos aos futuros arquitetos podem condicionar a maneira como projetam os seus edifícios”, diz Yeregui. “Além disso, procuro também verificar se o público se identifica com estas ferramentas, mas que de alguma forma podem ser vistas nas infografias que aqui apresentamos de pessoas a realizar atividades mais ou menos quotidianas”, acrescenta.

A nível profissional, o artista reconhece que conseguiu ter um certo impacto com o seu projeto. “Até agora, arquitetos, urbanistas ... não tinhamos pensado se as ferramentas de design condicionam os nossos projetos”, explica a esse respeito. “A nível público aconteceu-me, por exemplo, uma rapariga ter-se indentificado muito com uma das infografias onde havia uma mulher com um telemóvel a tentar trabalhar enquanto cuidava dos filhos”, conta.

O artista mostra satisfação por conquistar um prémio que já está na sua terceira edição. “É um reconhecimento maravilhoso, ainda mais nas condições em que nos encontramos, com toda a questão da pandemia e as dificuldades que ela implica…. Existe também um incentivo extra, que para mim é muito importante, que é poder mostrar este projeto no stand idealista no SIL, porque me parece um cenário ideal e imbatível, para falar sobre ferramentas de design e comunicação na arquitetura”, assevera, entusiasmado, com o stand artístico e o prémio do idealista.