Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Esta casa na Suíça é um bom exemplo de como o design facilita a convivência entre pais e filhos

O arquiteto Tom Strala decidiu contrariar o layout de uma típica casa de família.

Strala Architect|Instagram
Strala Architect|Instagram
Autor: Vicent Selva (colaborador do idealista news)

O arquiteto Tom Strala é o pai da “TS-H_01”, uma casa de família nos arredores de Berna, na Suíça, situada numa colina no município de Kirchdorf. Inclui um espaço separado para pais e filhos. O desenvolvimento deste projeto assenta numa interessante tese onde se misturam sociologia, psicologia e arquitetura, nomeadamente sobre o o facto de diferentes gerações coabitarem sob o mesmo teto.

“A arquitetura pode dar um lugar às diferentes relações entre pais e filhos. De forma milagrosa, a arquitetura torna-se inevitavelmente uma sociologia construída, com a possibilidade de desenvolver ou negligenciar a nossa vida emocional. E é exatamente aqui que a arquitetura fica interessante. Porque tem acesso direto à nossa consciência interior. Nós, arquitetos, construtores, investidores e políticos, devemos levar mais a sério este princípio inerente aos nossos edifícios. Porque realmente temos a oportunidade de construir salas de uma forma que possam influenciar positivamente a nossa psique ”, afirma no seu site.

Para dar forma a esta ideia, Strala tem brincado com muito sucesso com os espaços, com o objetivo de criar um espaço de convivência adaptado às diferentes necessidades, mas também de proteger a privacidade, facilitando a convivência de pais e filhos, facilmente lado a lado.

“As paredes interiores estruturam a nossa casa não apenas em termos de espaço. Ao mesmo tempo, também representam conexões e separações sociais. Dependendo da disposição dos quartos das crianças na casa de uma família, por exemplo, as crianças são protegidas, vigiadas ou espionadas pelos pais ”, afirma.

No seu projeto, e para evitar essas relações de controlo, Strala queria contrariar diretamente o layout de uma típica casa de família. Isso materializou-se em alguns elementos que definem a personalidade do espaço. Por exemplo, que cada quarto tenha duas portas, uma que dá acesso ao jardim e outra que dá acesso ao quarto privado das crianças. Mas isso não impede a existência de áreas partilhadas por todos. Na verdade, os membros da família podem reunir-se no andar térreo da “TS-H_01”, que abriga os espaços comuns - inclui uma grande sala de estar com painéis deslizantes de vidro que se abrem para um terraço ao ar livre.

Mas a liberdade e a privacidade não são, neste caso, propriedade exclusiva das crianças. Pelo contrário, pois os pais têm total liberdade para controlar o sótão, que é onde se encontra o seu quarto.

Do ponto de vista estético, destaca-se que o interior foi minimamente acabado com paredes de gesso rugoso e soalho de madeira clara. Além disso, os toques de cor surgem nas louças sanitárias, onde azulejos azul-escuro cobrem a box do chuveiro e o peitoril da janela.