Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

O Triângulo Hess: o "terreno" mais pequeno e caro do mundo

Este pedaço de terra, em Manhattan, conta a história de David Hess que nunca desistiu da sua casa, mas que assistiu à sua demolição em 1916. Os herdeiros lutaram por ele.

El País
El País
Autor: Redação

A história do Triângulo Hess, situado em Manhattan, começa em 1910 e coincide com o início da regeneração urbana da cidade de Nova Iorque, nos EUA. Este pequeno “terreno” triangular tem apenas 70 centímetros de lado e a sua localização corresponde à interseção a oeste da Christopher Street e da 7th Avenue.

Uma das fases da regeneração da cidade passou pela expansão das ruas e avenidas, processo que levou à desapropriação de bairros inteiros e à demolição de vários edifícios. Só na zona onde o Triângulo de Hess agora está localizado foram desapropriados 253 imóveis, mas houve um, o chamado “El Voorhis”, que resistiu. O proprietário deste pequeno apartamento, David Hess, recusou-se a vendê-lo, independentemente da quantia que lhe fosse oferecida.

Hess confiou na Constituição norte-americana e numa série de leis para não vender o imóvel. A disputa entre a administração local e o proprietário chegou à justiça. Mas em 1913 foi lida a decisão do tribunal e não foi favorável a David Hess: desapropriação forçada e posterior demolição do imóvel. E assim foi: três anos depois, a casa de Hess foi demolida para dar lugar à expansão da 7th Avenue da cidade. Mas nem por isso a propriedade foi esquecida pelos nova-iorquinos.

Cinco anos depois, esta história teve uma reviravolta. Em 1921, os herdeiros de David Hess localizaram um pedaço de 0,25 metros quadrados (m2) do antigo edifício na planta daquela zona. A Câmara Municipal não havia contemplado um pequeno triângulo entre o traçado da nova avenida e o limite do antigo quarteirão.

Ao descobrir este espaço icónico, os sobrinhos de Hess decidiram reivindicá-lo como seu. O município ainda propôs que a família doasse este triângulo à cidade, porque não fazia sentido protestar por um pedaço tão pequeno de Manhattan. Mas os herdeiros não concordaram e assumiram-se como proprietários do triângulo, cobrindo-o com mosaicos que foram a seguinte frase: "Property of the Hess estate which has never been dedicated for public purposes" (Propriedade de Hess, que nunca foi dedicada a fins públicos).

A história por detrás deste pequeno ‘terreno’ foi crescendo até que, em 1938, a tabacaria Village Cigars, localizada mesmo em frente a este triângulo, decidiu comprá-lo por 1.000 dólares (840 euros). Com a inflação, este valor equivale atualmente a cerca de 17.000 dólares (14.000 euros). Considerando que o Triângulo de Hess mede cerca de 0,25 m2, o seu valor unitário em termos proporcionais é de 68.000 dólares (57.000 euros) por m2, o que o torna o terreno mais pequeno e caro do mundo, segundo conta o El País.