Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

“Do It Yourself”: dicas de home staging para tornares a tua casa mais atrativa e vendável

Autor: Redação

Ensinar a aproveitar e valorizar ao máximo o potencial de cada espaço e tornar as casas mais atrativas é o objetivo da rubrica quinzenal do idealista/news, assegurada pela Home Staging Factory.

Os ingleses usam e abusam do D.I.Y! Uma sigla que me deu a volta à cabeça quando em tempos trabalhava em estudos de mercado em Londres, até descobrir que significava tão simplesmente “Do It Yourself”!

Tanto em Inglaterra como nos países nórdicos o DIY é considerado um hobbie e associado essencialmente ao bricolage, pois a mão de obra tem um custo muito elevado. No entanto o DIY significa apenas “faça você mesmo”.

O home staging, apesar de ser um “termo técnico” de valorização imobiliária é um conceito que qualquer um pode e deve pôr em prática, após conhecer algumas regras simples e antes de vender ou arrendar a própria casa.

Os princípios são poucos, muito simples e tarefas básicas. E para além de potenciarem a venda da casa vão ajudar-te a renascer e revitalizar o teu espaço.

Tal como se podam as árvores todos os anos, é fundamental aplicarmos o mesmo princípio às nossas vidas e deitar fora tudo o que está a mais, que já não nos serve ou que está velho e desatualizado.

Libertar é a palavra de ordem

Começa por imaginar que vais mudar de casa ou viajar daqui a uma semana. Faz uma triagem de tudo o que tens em casa. Divisão por divisão. Da sala ao escritório, da cozinha à casa de banho, dos quarto à lavandaria e até à  arrecadação. Mexe e remexe, passa tudo a pente fino e guarda apenas o essencial e o que realmente têm valor para ti.

Deita fora ou dá tudo aquilo que já não usas, que está estragado há mais de um ano e nunca mandaste arranjar ou que já não gostas ou não tem qualquer utilidade. Liberta-te. Lembra-te que tudo o que tens é bagagem que carregas. Minimiza.

Começa pela sala. Faz uma caixa com uma seleção de livros, filmes e cd’s que já não gostas e oferece à junta de freguesia ou escola do bairro.

Faz o mesmo com objetos de decoração, loiças, gadgets ou papelada. Tenta libertar-te de pelo menos 20 a 30% das coisas que tens. De início parece difícil mas vais ver que no fim te sentes mais leve.

Depois da triagem, organiza, arruma tudo no sítio certo e faz uma limpeza geral e profunda à casa.

Desfaz-te dos nós

Manda arranjar tudo o que está estragado ou funciona mal. Portas que rangem, puxadores a cair, torneiras a pingar. São pequenas coisas que aparentemente não têm importância mas que são obstáculos à venda e empecilhos no dia a dia. Faz uma lista “to do” e manda arranjar tudo o que está por fazer há anos.

Se puderes investir um pouco mais, pinta a casa toda de branco e faz algumas melhorias na cozinha e casas de banho, que são normalmente os espaços que mais precisam de atualização. Alterações simples como pintar azulejos, mudar o lavatório ou substituir a cortina de duche por um vidro fazem toda a diferença.

Ilumina o teu dia a dia

Casas com cores fortes e muito cheias têm muito estímulos e são por isso cansativas. Para que uma casa emane boa energia e bem estar tem de permitir uma boa circulação, ser arejada e visualmente limpa. É fundamental desobstruir passagens como portas, janelas e corredores e trocar as cores fortes por tons neutros que proporcionam paz de espírito e tranquilidade.

Brinca com o espaço

Olha para a tua casa como um jogo de Tetris que permite várias configurações. Será que o sofá só pode estar nesse sítio e que a cama só cabe ao comprido? Por vezes não mudamos porque achamos que não cabe de outra forma mas na maior parte das vezes não é verdade. Não tenhas medo e experimenta. Brinca com os móveis. Altera tudo e vê como fica melhor. Pede opinião aos amigos.

Imagina que estás a fazer um filme e faz uma produção convidativa

A produção de ambientes é uma técnica que ajuda as pessoas a imaginarem a vivencia de um determinado espaço. Uma mesa bem posta recria o ambiente de uma refeição, uma casa de banho bem trabalhada leva-nos a imaginar um bom duche. Pequenos truques cenográficos levam a pessoa a imaginar a sua vida naquele espaço.


Home staging significa literalmente “encenar a casa”. Na prática, é trabalhar a casa para que se torne mais atrativa, acolhedora, sedutora, apresentável e comercializável. É potenciar os seus atributos e minimizar os seus pontos fracos de forma a maximizar o seu valor no mercado e aumentar a sua rentabilidade.

O objetivo é dar a ideia de como potenciar a vivência do espaço. Despersonalizar o espaço, reorganizar o mobiliário, criar uma atmosfera casa-modelo, são algumas das técnicas para acelerar o processo de venda/arrendamento. O objetivo é que com o mínimo investimento, ou mesmo nenhum, se obtenha o máximo de resultados.

Apesar dos profissionais conseguirem melhores resultados, nomeadamente na reorganização do espaço e na produção de ambientes, há uma grande parte do trabalho que podes começar já a fazer. Aproveita o fim do verão e dá uma volta à tua casa. Vais ver que a rentrée vai ter outro sabor!