Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Subida dos custos de construção de habitação nova abranda em março à custa da Covid-19

Subiram 0,6% em março face ao período homólogo, bem menos que nos últimos meses.

Szabo Viktor on Unsplash
Szabo Viktor on Unsplash
Autor: Redação

Em março, já em plena pandemia de novo coronavírus, os custos de construção de habitação nova subiram 0,6% face ao mesmo mês do ano passado. Trata-se, no entanto, de um aumento homólogo muito inferior face ao verificado nos últimos meses – em fevereiro, por exemplo, tinha sido de 2,1% e em janeiro de 2,7%. Em causa estão estimativas divulgadas esta segunda-feira (11 de maio de 2020) pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). 

“O preço dos materiais e o custo da mão de obra apresentaram, respetivamente, variações de -0,5% e de 2,3% face ao período homólogo”, conclui o INE, salientando que estes números já refletem parcialmente os efeitos da pandemia do novo coronavírus no comportamento da atividade económica.  

Noutra nota publicada no seu site, o INE revela que o Índice de Produção na Construção (IPC) passou de um aumento homólogo de 0,9% em fevereiro para uma diminuição de 0,6% em março. “Os índices de emprego e de remunerações aumentaram 0,9% e 1,1%, respetivamente (1,5% e 4,5% no mês anterior)”, lê-se no documento, que também alerta para o facto da informação em causa já refletir parcialmente os efeitos da Covid-19 no setor.

“O IPC registou uma diminuição de 0,6% em março. Ambos os segmentos, Construção de Edifícios e de Engenharia Civil, diminuíram 0,6% (aumentos de 1,0% e 0,9%, respetivamente, no mês anterior). Os índices de emprego e de remunerações aumentaram 0,9% e 1,1%, respetivamente, em março (1,5% e 4,5% no mês anterior). Face a fevereiro, estes índices diminuíram 0,2% e 0,6%, respetivamente (aumentos de 0,4% e 2,8% em março de 2019)”, conclui o INE.