Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Reembolsos do IRS: pagamentos retomam ritmo normal

Finanças garantem que, depois dos atrasos iniciais, o ritmo de devoluções equilibrou-se.

Autor: Redação

O pagamento dos reembolsos de IRS começou mais tarde este ano, tendo as Finanças confirmado os atrasos, mas entretanto o ritmo de devoluções equilibrou-se. O gabinete do Ministro de Estado e das Finanças revelou que até ao final do dia 26 de maio tinham sido entregues à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) 3.967.811 declarações de IRS, das quais 36% correspondentes a IRS Automático.

“Deste total, já foram liquidadas 2.254.739 declarações, das quais 1.349.341 deram lugar a reembolso e 228.650 a notas de cobrança (as restantes 676.748 têm um saldo nulo). Foram já processados mais de um milhão de reembolsos (1.051.606) no valor de 869 milhões de euros. Note-se que na sequência do ajustamento das tabelas de retenção em 2019, os reembolsos este ano serão inferiores em caso de rendimentos equivalentes”, lê-se no comunicado publicado no site do Governo, esta quarta-feira (27 de maio de 2020), pelo o gabinete do Ministro de Estado e das Finanças 

Segundo a tutela, “este ano os reembolsos começaram a ser processados a 21 de abril, sendo que neste momento se observa um ritmo de execução dos reembolsos similar ao de outros anos”.

Num outro comunicado, publicado no dia anterior (26 de maio de 2020), o gabinete do Ministro de Estado e das Finanças admita atrasos nos pagamentos, mas garantia que a situação seria corrigida.

“A evolução da receita fiscal (aumentou 3,8% em abril) é explicada pelo aumento da receita líquida do IRS (17,8%) associado à diminuição de reembolsos, mas que será corrigido nos meses seguintes”, refere a nota.

De referir que a declaração anual do IRS relativa aos rendimentos auferidos em 2019 começou a ser entregue a 1 de abril e termina em 30 de junho, tendo o Estado de proceder aos reembolsos até dia 31 de agosto.