Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Ikea quer devolver apoios estatais por causa da Covid-19 a nove países - Portugal está na lista

A cadeia sueca de mobiliário está a conseguir mitigar os efeitos negativos do surto, no negócio, e pretende devolver o montante das ajudas.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A gigante nórdica Ikea está está em negociações com os governos de nove países, incluindo Portugal, para devolver os apoios concedidos no âmbito das medidas para travar o impacto da pandemia da Covid-19. A cadeia sueca de mobiliário está a conseguir mitigar os efeitos negativos do surto, no negócio, daí a decisão de querer proceder à devolução das ajudas. Em Portugal, a Ikea mostra-se “muito honrada e feliz com a decisão do grupo”.

O responsável pelas operações de retalho do Ingka Group, principal retalhista da Ikea, Tolga Oncu, adiantou ao Financial Times que já se iniciaram as conversações com a Bélgica, Croácia, República Checa, Irlanda, Portugal, Roménia, Sérvia, Espanha e EUA. O grupo previa, inicialmente, uma quebra nas vendas entre 70% e 80% devido à pandemia, mas a procura registada após a reabertura das lojas tem permitido mitigar o impacto e, por isso, a cadeia sueca de mobiliário vai optar por devolver os montantes dos apoios recebidos.

As discussões estão, de resto, numa fase inicial e, tendo em conta as diferenças nos mecanismos de apoio entre os nove países, ainda não está estipulada a forma como os valores serão devolvidos.

Em declarações à Lusa, fonte oficial da IKea Portugal assegurou que o grupo manifestou, na semana passada, a intenção de devolver ao Governo português os apoios, não tendo ainda estimado os montantes em causa. “Vamos avaliar a forma como vamos proceder à devolução. No final do mês contamos reunir com o Ministério do Trabalho”, afirmou a mesma fonte, sublinhando estar “muito honrada e feliz com a decisão do grupo”.

Ikea Loures e Alfragide reabrem hoje

Depois do encerramento temporário provocado pela pandemia da Covid-19, a 1 de junho de 2020 a Ikea teve luz verde para abrir as suas lojas de mobiliário e decoração no país, à exceção dos estabelecimentos localizados na região de Lisboa e Vale do Tejo. 

A partir desta segunda-feira, 15 de junho de 2020, e depois do levantamento das restrições na região, as lojas da Ikea em Loures e Alfragide voltam a estar de portas abertas. Além disso, vão igualmente reabrir os Estúdios de Planificação IKEA no Rio Sul Shopping (Seixal), no Alegro Sintra e pela primeira vez, o novo espaço Ikea no CascaiShopping, segundo se lê no comunicado divulgado pela empresa

A Ikea lembra ainda que, face ao contexto atual, o funcionamento de alguns pontos de atendimento ao cliente foi repensado, de forma a que o fluxo de clientes dentro de espaços fechados seja mais controlado e conveniente. "É o caso da zona de devoluções que agora se encontra na área do parque de estacionamento das lojas, evitando assim a entrada na zona comercial de clientes que queiram apenas efetuar devoluções", explica.