Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Moratórias de crédito prolongadas por mais seis meses - até setembro de 2021

Governo alargou a vigência das moratórias de crédito, para empresas e famílias, por mais seis meses face ao atual prazo em vigor.

Gtres
Gtres
Autor: Redação

O Governo aprovou o prolongamento por mais seis meses, até 30 de setembro de 2021, da moratória que permite suspender o pagamento das prestações dos empréstimos bancários, seja para empresas ou para particulares, nomeadamente do crédito à habitação. A decisão foi tomada em Conselho de Ministros e anunciada esta quinta-feira (24 de setembro) pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

Recorde-se que as moratórias bancárias, que suspendem o pagamento das prestações dos empréstimos (capital e/ou juros), já tinham sido alargadas pelo Executivo até 31 de março de 2021, tendo agora o Governo dado uma “folga extra” de seis meses às famílias e às empresas. 

“As medidas excecionais de proteção dos créditos das famílias, empresas, instituições particulares de solidariedade social, e demais entidades da economia social, passam a vigorar até 30 de setembro de 2021”, refere o comunicado emitido no final do Conselho de Ministros, que também decidiu prolongar até 14 de outubro a declaração de situação de emergência em todo o país.

No que diz respeito às famílias que já beneficiam de moratórias, nomeadamente as que abrangem os créditos à habitação e os créditos para financiamento de despesas de educação, além da suspensão do pagamento das prestações, ficam também isentas do pagamento de juros até 30 de setembro de 2021.