Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Utilização de máscara no exterior deixa de ser obrigatória em setembro

A medida faz parte da segunda fase do plano de desconfinamento, aprovado e anunciado oficialmente ontem pelo Governo.

Photo by Maksym Kaharlytskyi on Unsplash
Photo by Maksym Kaharlytskyi on Unsplash
Autor: Lusa

A utilização de máscara na via pública como medida preventiva para travar a pandemia da Covid-19 deixará de ser obrigatória a partir de setembro de 2021, exceto em situações de ajuntamentos, segundo o novo plano de desconfinamento apresentado pelo primeiro-ministro esta quinta-feira, dia 29 de junho de 2021.

A medida faz parte da segunda fase do plano de desconfinamento, que deverá arrancar no início do mês de setembro de 2021, quando o Governo antecipa que 70% da população portuguesa tenha já a vacinação completa.

"Nessa fase, para além das medidas que entram já em vigor na primeira fase, será possível deixar de termos o uso obrigatório de máscara na via pública, salvo em situações de ajuntamento", explicou o primeiro-ministro em conferência de imprensa, no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa. 

Uso de máscara continua em casos de ajuntamento

Questionado se essa obrigatoriedade se manteria em espaços interiores, o primeiro-ministro foi perentório e confirmou que sim, mas relativamente à exceção inicial - o uso obrigatório na via pública quando haja ajuntamentos - António Costa disse apenas que era uma "questão de bom senso".

"Se as pessoas estiverem num grande ajuntamento, é evidente que têm de ter máscara", sublinhou, acrescentando que, por outro lado, se estiverem sozinhas ou acompanhadas de pessoas com quem convivem habitualmente, poderão dispensá-la.