Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Prestação média da casa sobe em outubro para o valor mais alto do ano

Gtres
Gtres
Autor: Redação

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação fixou-se nos 1,016% em outubro, mais 0,7% que no mês anterior (1,009%). Já a prestação média vencida aumentou um euro em termos mensais, para 240 euros. Trata-se do valor mais elevado dos últimos 12 meses.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu 0,9%, passando de 1,677% em setembro para 1,686% em outubro.

“Para o destino de financiamento Aquisição de Habitação, o mais relevante no conjunto do crédito à habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos foi 1,038%, valor 0,7% p.b. superior ao observado no mês anterior (1,031%). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro para este mesmo destino de financiamento passou de 1,668% em setembro para 1,681% no mês seguinte”, refere o INE.

No que diz respeito ao valor médio da prestação, no caso dos contratos celebrados nos últimos três meses, fixou-se nos 326 euros em outubro, mais três euros que em setembro.

Já o capital médio em dívida para a totalidade dos contratos aumentou 50 euros em outubro, face ao mês anterior, atingindo os 51.571 euros. “Para os contratos celebrados nos últimos três meses, o montante médio do capital em dívida subiu de 94.003 euros observados em setembro para 95.520 euros”, conclui o INE.