Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Montepio entra na guerra dos spreads e passa a ter uma das melhores ofertas do mercado

Banco Montepio
Banco Montepio
Autor: Redação

A avaliação bancária – para efeitos de concessão de crédito à habitação – está a subir a pique e os bancos estão a baixar os spreads. Depois de Crédito Agrícola e Santander Totta baixarem as respetivas margens de lucro é a vez do Montepio entrar na chamada “guerra de spreads”. O banco liderado por Dulce Mota terá durante seis meses uma margem promocional que o colocará entre as melhores ofertas do mercado. 

Segundo o Jornal de Negócios, em menos de dois meses, quatro bancos já reviram em baixa a margem mínima cobrada aos clientes no crédito à habitação. E outros lançaram campanhas de promoção deste produto. O Montepio bate as ofertas dos cinco maiores ganhos nacionais, mas apenas durante 175 dias.

A entidade deixará de ser a que tem o spread mais elevado do mercado, baixando a margem mínima de 1,50% para 1,175%. Só o Bankinter (1%) e o Banco CTT (1,10%) ficarão à frente do Montepio.

Perante este cenário, o EuroBic passará a ter a taxa de juro mais alta: 1,49%. Já o Montepio terá, do ponto de vista da taxa de juro, uma oferta mais vantajosa que a dos cinco maiores bancos nacionais: Santander Totta (1,20%), BCP, BPI e Novo Banco (1,25%) e CGD (1,30%).

Este spread mínimo do Montepio resulta de uma campanha publicitária para celebrar os 175 anos do banco. Quer isto dizer que decorre durante 175 dias – termina a 30 de setembro –, sendo que depois o banco deverá revelar qual será o seu novo "spread" mínimo. 

Para os clientes terem este spread mínimo de 1,75%, podem subscrever um conjunto de produtos ou serviços exigidos pelo banco ou passar a ter o pai ou a mãe como cliente habitual do banco.