Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Deco Alerta: Queres renegociar créditos? Cuidado com as empresas que consultas

Gtres
Gtres
Autor: Redação

São várias as empresas que prometem ajudar os consumidores que se encontram em dificuldades financeiras. No artigo de hoje da rubrica semanal Deco Alerta, destinada a todos os consumidores em Portugal e assegurada pela Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor para o idealista/news, explicamos-te que cuidados deve ter caso optes por esta solução. 

Envia a tua questão para a Deco, por email para gcabral@deco.pt ou por telefone para 00 351 21 371 02 20.

Infelizmente estou desempregada há já dois anos e esgotei, em outubro do ano passado, as minhas poupanças. Atualmente não consigo assumir o pagamento da prestação da casa, nem tão pouco da água e da luz. Vi num jornal um anúncio de uma empresa que ajuda as pessoas que estão nas minhas condições a resolver as suas dívidas e a renegociar os créditos. É seguro? Que conselhos me podem dar? 

Cara leitora, a tua pergunta vem dar razão à preocupação da Deco sobre estas “empresas”  que se comprometem a ajudar os  consumidores que se debatem com dificuldades financeiras, prometendo soluções fáceis para os seus problemas. Afirmam que conseguem renegociar os seus contratos de crédito,  conceder-lhes crédito ou até resolver os seus problemas mesmo quando há créditos em tribunal, penhoras, informações negativas no Banco de Portugal (BdP)...

A situação mais frequente é a da empresa que se propõe a prestar serviços que obrigam o consumidor a pagar,  a título de despesas de expediente, honorários ou comissões, valores que variam entre  os 75 e os 300 euros. Depois de efetuado o pagamento, o consumidor  é, na maior parte das vezes,  informado que a proposta não foi aprovada, sem ter direito à devolução do montante pago.

Assim, e para reduzir riscos, aconselhamos-te, caso pretendas avançar com a intenção de contratar os serviços de uma dessas empresas, a exigir um contrato de serviços para que o possas analisar previa e cuidadosamente. Caso te exijam o pagamento de honorários pelos seus serviços, não deves suportar esses custos antes de o negócio ser concretizado; exceto se houver garantia de reembolso em caso de não aprovação.

É importante também que estejas informada sobre o facto de as atividades de mediação e consultoria não estarem, por lei, sujeitas à supervisão do BdP, nem constarem do registo de entidades por este autorizadas. Consequentemente, o BdP não tem competência para regular, fiscalizar ou sancionar tais entidades nem para apreciar queixas ou reclamações relativas à sua atuação. Estes consultores, intermediários  e mediadores exercem a atividade sem controlo e lesando diariamente os consumidores, estando totalmente fora da alçada do BdP.

A Deco tem vindo a acompanhar a conduta de algumas destas empresas, denunciando as inúmeras situações lesivas dos interesses económicos dos consumidores e alertando as autoridades para a necessidade de regulamentação dessa atividade.

Informa-te melhor antes de agir: http://gasdeco.net/noticias/promessas-renegociacao-e-credito-facil/