Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Portugal enviou pelo menos 10,6 mil milhões para paraísos fiscais em 2017

Gtres
Gtres
Autor: Redação

Cerca de 10,6 mil milhões de euros foram transferidos para "offshores" no ano passado. Mas o valor pode subir depois das correções feitas pelos bancos à informação enviada inicialmente. O Fisco instaurou 122 processos aos bancos, sendo que cada um dos autos corresponde a uma declaração onde foram encontradas falhas sobre a informação das transferências para “offshore”.

De acordo com os dados divulgados pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), o montante comunicado pelos bancos ao Fisco sobre as transferências para paraísos fiscais em 2017 foi de cerca de 10,6 mil milhões de euros, superior em cerca de 200 milhões de euros ao valor transferido no ano anterior (2016).

Estes dados, escreve a Lusa, resultam da informação das transferências de fundos para “offshore” que os bancos tiveram de remeter ao Fisco até ao final de março. No entanto, depois dessa data, o Fisco recebeu "sucessivas correções" pelas instituições financeiras em relação à informação declarada anteriormente – 122, quando em 2016 tinham sido apenas nove.

O Fisco instaurou "diversos procedimentos contraordenacionais na sequência destas correções”, segundo a agência de notícias, o que quer dizer que os dados agora divulgados ainda poderão vir a ser objeto de revisão, na sequência dessas correções.

Suíça e Hong Kong são os destinos preferidos  

As estatísticas da AT revelam que foram realizadas 102.245 transferências para territórios com situação tributária mais favorável, mais 10.678 que em 2016. Os responsáveis por estas transferências também aumentaram: em 2016 foram 8.515 os ordenantes, em 2017 totalizaram 10.929.

Dois territórios representam quase metade do montante total transferido: Suíça e Hong Kong receberam, no total, 4,8 mil milhões de euros (3,5 mil milhões e 1,3 mil milhões, respetivamente), num total de 51.174 transferências.