Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Greve dos motoristas à porta: já há bombas sem combustível

Photo by Tuân Nguyễn Minh on Unsplash
Photo by Tuân Nguyễn Minh on Unsplash
Autor: Redação

A greve dos motoristas ainda não arrancou, mas já há postos de abastecimento a ficar sem combustível – as filas constantes já começam a fazer-se notar um pouco por todo o país, em várias gasolineiras. Depois da ronda de negociações falhadas com o Governo, e do “braço de ferro” com a Antram, o sindicato já veio dizer que a greve vai mesmo avançar na segunda-feira, 12 de agosto, por tempo indeterminado.

Pedro Pardal Henriques, porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), reiterou que a greve não vai ser desconvocada, culpando o Governo e a Antram pelas filas que já se verificam para o abastecimento.

O porta-voz do SNMMP começou por referir, em conferência de imprensa, esta quinta-feira, 8 de agosto de 2019, que “estamos a assistir a uma luta desigual”. Para Pardal Henriques os serviços mínimos definidos pelo Governo para a greve, e que oscilam entre 50% e 100%, são “uma declaração contra a democracia”. “Ao serem fixados serviços máximos, o Governo declarou que esses motoristas e os direitos protegidos constitucionalmente não têm qualquer importância“, disse, acrescentando que “o que aconteceu a estes motoristas pode acontecer a todos os portugueses e a todos os trabalhadores”.

O responsável reiterou que “os objetivos dos motoristas são justos”, e que “os meios de exercer o direito à greve são totalmente legítimos e devem ser defendidos por todos os portugueses”.

Corrida às bombas aumenta: já há postos sem combustível

A pouco mais de 48 horas do arranque da greve, já são 98 os postos de abastecimento sem, pelo menos, um tipo de combustível, de acordo com as mais recentes estatísticas que os Voluntários Digitais Em Situações de Emergências para Portugal (VOST) publicaram na página Já Não Dá Para Abastecer – a lista está a ser atualizada constantemente, pelo que será normal que os números aumentem em poucos instantes.

Só nos postos de abastecimento que integram a Rede Estratégica de Postos de Abastecimento (REPA) está garantido o combustível a 100% durante a greve. Dos 374 postos, 54 estarão reservados a veículos prioritários como ambulâncias, carros dos bombeiros ou carrinhas de transporte de valores. Os restantes estão abertos à população geral – com limite de abastecimento de 15 litros de combustível por pessoa.

A lista de postos que integram a rede de emergência pode ser consultada aqui.