Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Marcar férias: dicas para evitar burlas online

Ofertas de última hora e urgência na marcação de férias poderá levar os portugueses a cometer erros e expô-los ao risco da fraude.

Como evitar burlas online com casas de férias
Revolut
Autor: Redação

As férias de verão estão aí à porta, mas a verdade é que a pandemia pode ter atrasado os planos de muitas pessoas. Quer isto dizer que as ofertas de última hora e a urgência na marcação de um período de descanso poderá levar os portugueses a cometer erros e expô-los ao risco da fraude com reservas online. E porque a pressa é inimiga da perfeição, o melhor mesmo será ficar atento para evitar burlas na internet.

Num comunicado enviado às redações, a Revolut lembra que em 2020, em Portugal, as queixas apresentadas na Procuradoria-Geral da República relacionadas com a cibercriminalidade quase duplicaram, aumentando 182%. Por causa disso, e para ajudar os consumidores a identificar e prevenir estes casos, a empresa partilhou algumas dicas para detetar os sinais de que uma oferta é, potencialmente, fraudulenta. Reproduzimos agora na íntegra os 7 passos para uma reserva perfeita, segundo a Revolut.

Como evitar fraudes nas férias

1. ‘Cyber hygiene check’: fazer uma limpeza

O primeiro passo é remover todos as apps não utilizadas ou perfis online de que já não precisas, verificar as configurações de privacidade em plataformas de redes sociais para garantir que estás a partilhar dados apenas com as pessoas em quem confias e ativar a autenticação multifator sempre que possível para fortalecer a segurança das contas. Garantir que as senhas são atualizadas regularmente e excluir contas não utilizadas deve ser uma parte regular da sua rotina cibernética - o período de férias pode ser uma boa altura para começar.

2. Desconfiar de ofertas demasiado baratas

É importante comparar cada oferta com outras disponíveis, perceber o preço médio junto de agências de viagem reconhecidas ou companhias de aviação para as mesmas datas, para ter uma referência. Se a oferta for consideravelmente mais barata, pode ser uma fraude.

3. Atenção aos logótipos

Procurar a autenticidade dos logótipos nas ofertas é sempre uma boa ideia. A Revolut também recomenda que pesquises selos de qualidade oficiais que possam acompanhar o website da empresa. Operadores turísticos são, tendencialmente, membros de associações de turismo. Poderás encontrar facilmente os logótipos oficiais através do seu motor de busca.

4. Confiar apenas em sistemas de pagamento internos

Os websites de reservas têm sistemas anti-fraude, mas muitas vezes os criminosos aproveitam a popularidade destes sítios para tentar enganar potenciais vítimas. Procura perceber se o link de pagamento reconduz para um site externo ou caso peçam para fazer uma transferência bancária.

5. Não contactar pessoas fora das plataformas oficiais

As plataformas de reservas inibem os contactos fora das plataformas como medida preventiva. Os clientes devem suspeitar se encontrarem uma reserva com o e-mail privado ou o número de telefone do proprietário ou um anúncio que incentive o contacto direto. A Revolut recomenda o uso do chat de apoio das plataformas de booking como primeiro ponto de contacto.

6. Espreitar as opiniões online

Verificar avaliações de clientes e as páginas de redes sociais das empresas nas quais ponderas fazer uma reserva é obrigatório. Poderão existir comentários falsos para credibilizar a oferta. Mas alguns sinais podem ser reveladores, por exemplo, muitas críticas semelhantes, muito recentes ou pouco factuais, bem como críticas de membros não avaliados na plataforma.

7. Atenção aos esquemas com reembolsos

Devido à pandemia, quem viaja tem que lidar cada vez mais com cancelamentos de voos e pedidos de reembolso. Os criminosos usam essas oportunidades para enganar os clientes de várias maneiras, incluindo através de e-mails de phishing, chamadas falsas ou anúncios nas redes sociais. Os clientes devem ficar atentos se lhes for pedido para pagar uma taxa inicial de gestão de pedidos de reembolso - especialmente se o pedido for redirecionado para um site externo ou se forem solicitados dados bancários por telefone.