Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Concessões de imóveis históricos a privados vão gerar 150 milhões de receitas

Autor: Redação

O Programa Revive, que visa reabilitar património histórico através da sua conversão em projetos turísticos pela mão de investidores privados, arranca oficialmente hoje. Nesta primeira fase vão ser entregues concessões para 12 espaços, que atualmente estão a cargo do Estado, mas o objetivo do Governo é chegar a um total de 30 edifícios históricos espalhados pelas diferentes áreas do País e conseguir um encaixe de 150 milhões de euros. 

As regras do programa, resumidas pelo Dinheiro Vivo, são claras: os potenciais concessionários terão de levar a concurso projetos de reabilitação, que passem pela restauração do edifício já existente, manutenção e a sua abertura ao público.

Alguns destes imóveis serão, assim, convertidos em unidades hoteleiras, mas também em restaurantes ou mesmo espaços para concertos ou festivais.

Em geral, as concessões poderão variar entre perídos de 30 e 50 anos e, no final, podem ser prorrogados ou, se o governo da altura assim o entender, fazer estes edifícios regressarem à mão do Estado. 

Neste momento, segundo indica o jornal, quase todos os espaços que serão levados a concurso estão em estado avançado de degradação e, por isso, terá de haver sempre um compromisso de reabilitação, preservação e conservação a cargo do novo “dono”. 

Apresentamos-te os 12 edifícios históricos em causa

  1. Convento de S. Paulo, Elvas
  2. Castelo de Vila Nova de Cerveira
  3. Fortaleza de Peniche
  4. Mosteiro de S. Salvador de Travanca, Amarante
  5. Mosteiro de Arouca
  6. Mosteiro de Santa Clara-a-Nova
  7. Pavilhões do Parque, Caldas da Rainha
  8. Paço Real de Caxias, Oeiras
  9. Forte do Guincho, Cascais
  10. Castelo de Portalegre
  11. Forte de S. Roque da Meia Praia, Lagos
  12. Quinta do Paço de Valverde, Évora