Notícias sobre o mercado imobiliário e economia

Edifícios degradados

Últimas notícias sobre "Edifícios degradados" publicadas em idealista.pt/news

Uma sala de aula ao abandono

Da beleza ao abandono: fotos impressionantes de uma universidade em ruínas na Bélgica

Este é mais um exemplo de um lugar relegado ao abandono. Desta vez mostramos-te uma universidade em ruínas na Bélgica. Um edifício onde a poeira acumulada convive pacificamente com uma aura de mistério. As salas de aula desta universidade parecem sussurrar lições antigas de química, direito ou outros assuntos. Nas fotografias poderás ver móveis antigos ou, quem sabe, fantasmas. Ousarias caminhar por estes corredores?
Notícia sobre:

Há pelo menos 44.000 edifícios degradados em Lisboa a precisar de obras

A Grande Lisboa tem pelo menos 44.000 imóveis degradados, 10.000 dos quais no centro da cidade. Mas não é só na capital que há imóveis a reclamar intervenção. Há cerca de um milhão de edifícios, espalhados um pouco por todo o país, a necessitar de obras de remodelação.

Notícia sobre:
Uma casa, literalmente engolida pela natureza

Lugares abandonados que foram engolidos pela natureza

Desde estradas e casas até grandes centros comerciais. A natureza recupera o seu espaço nestes lugares abandonados, que foram fotografados pelo artista Johnny Joo nos EUA. Desde 2012 que este jovem de Cleveland (Ohio) se dedica a fotografar locais que outrora contavam uma história bastante diferente daquela que contam hoje. Coberta de árvores e de vegetação: assim é a beleza ao abandono.
Notícia sobre:
Reuters

Demolição controlada na China: 36 edifícios destruídos em apenas 20 segundos

A China executou, no final de julho, aquela que terá sido até ao momento a maior demolição controlada da sua história. Cerca de 36 edifícios foram dizimados em menos de 20 segundos na cidade chinesa de Zhengzhou, na província de Henan. Para esta rápida demolição foram necessárias cerca de 2,5 toneladas de dinamite.

Notícia sobre:
Annemarie e Albert, donos de uma quinta desfeita, estão entre as muitas vitimas deste fenómeno / Tiago Carrasco, Observador

Holanda: mais de 100 mil casas danificadas pela lucrativa exploração de gás de Groningen

A Holanda - cujas eleições de hoje, opondo a extrema direita e os conservadores, marcam o pontapé inicial do calendário eleitoral de um ano-chave para a Europa -, é o maior produtor europeu de gás natural. E Groningen, uma zona agrícola e verdejante longe das cosmopolitas Amesterdão e Haia, é a jóia da coroa. Alberga uma das reservas mais lucrativas do mundo, que rende cerca de um milhão de euros por hora a Haia e muitos dos edifícios e serviços públicos do país foram financiados com esta receita. Mas há um lado negro neste negócio: a exploração de gás natural está a provocar tremores de terra que já danificaram 100 mil casas e este tema está a incendiar o debate político.

Notícia sobre:

Deslizamento de terras em Lisboa obriga à evacuação de três edifícios

Três edifícios de habitação sofreram danos esta madrugada, na sequência de um deslizamento de terras que ocorreu às 5h37, na Rua Damasceno Monteiro, no centro de Lisboa. Os bombeiros já informaram que o sucedido obrigou à retirada de 27 pessoas e os moradores - idosos, na maioria - foram transportados para uma sala da junta de freguesia.

Notícia sobre:

Portugal tem um milhão de edifícios degradados

Há cerca de um milhão de edifícios degradados em Portugal. Lisboa e Porto lideram a lista das cidades com o maior número de imóveis a necessitar de reparações, uma lista que integra também Vila Nova de Gaia, Leiria e Coimbra, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). Para discutir estes e outros temas relacionados com o problema, está a decorrer até sábado (29 de outubro) na Casa das Artes, no Porto, o XII Congresso Internacional sobre Patologia e Reabilitação de Estruturas (CINPAR).

Notícia sobre:

Concessões de imóveis históricos a privados vão gerar 150 milhões de receitas

O Programa Revive, que visa reabilitar património histórico através da sua conversão em projetos turísticos pela mão de investidores privados, arranca oficialmente hoje. Nesta primeira fase vão ser entregues concessões para 12 espaços, que atualmente estão a cargo do Estado, mas o objetivo do Governo é chegar a um total de 30 edifícios históricos espalhados pelas diferentes áreas do País e conseguir um encaixe de 150 milhões de euros.

Notícia sobre:

Fundo Nacional de Reabilitação vai hoje a Conselho de Ministros e setor imobiliário está apreensivo

O novo fundo Nacional de Reabilitação do Edificado, que irá ser alimentado por fundos da Segurança Social e colocar no mercado edifícios públicos com rendas controladas, vai hoje a Conselho de Ministros, para ser discutido e aprovado pelo Governo. O mercado imobiliário está apreensivo quanto a este novo instrumento, nomeadamente, no que respeita à rentabilidade entre 3% e 4% prometida pelo Executivo.

Notícia sobre:

Novo fundo de reabilitação prevê renovar 7.500 casas em dez anos

O novo Fundo Nacional de Reabilitação do Edificado (FNRE), que foi apresentado na semana passada (dia 7), em Lisboa – vai contar com 1.400 milhões de euros do Fundo de Estabilização Financeira da Segurança Social (FEFSS) –, tem como meta a criação de 7.500 novos fogos até 2027. Objetivo é envolver autarquias de todo o país, mas para já aderiram à iniciativa Lisboa, Porto, Coimbra e Vila Real.

Notícia sobre: